SHARE
Foto: AFP

Pela quarta vez na história, um atual campeão foi eliminado na primeira fase da Libertadores. O Atlético Nacional foi até o Rio de Janeiro, saiu derrotado pelo time carioca e deu adeus ao sonho de defender o título.

Leia Mais: Diante do líder Bolívar, Sport Boys busca recuperação no Apertura
Treinador do Boca Juniors é ofendido por torcedores do River Plate e responde provocação

A eliminação do time promete causar grandes estragos internos dentro do time colombiano. Nos vestiários do Engenhão, o técnico Reinaldo Rueda lamentou a eliminação e chamou a responsabilidade pela queda.

Diante de todo esse cenário, o Futebol Latino listou quatro motivos que contribuíram para a eliminação do time colombiano da Libertadores. Confira:

Mudança de Elenco

Campeão da Libertadores do ano passado com um futebol envolvente, o time se desfez nos primeiros meses do ano e os novos reforços ainda não se adaptaram ao estilo de jogo imposto por Reinaldo Rueda. Dos 11 titulares campeões em 2016, apenas cinco permaneceram no clube.

Reinaldo Rueda

Antes unanimidade, após o vexame no Mundial de Clubes, Reinaldo Rueda hoje é muito contestado no cargo. O treinador sofre com ataques de diretores na imprensa, principalmente de Pablo Ángel, ex-jogador e ídolo do clube. Mesmo com o fracasso, o treinador irá permanecer, mas certamente a sua vida será muito mais dura daqui pra frente.

Poder de Decisão

Se na temporada passada o Atlético Nacional ficou marcado por ser um time mortal nos momentos decisivos, esse ano a história foi bem diferente. O time colombiano não conseguiu reagir em momentos chaves da competição e foi presa fácil aos adversários.

Crise Interna

Se antes era exemplo de administração, o Atlético Nacional demonstrou uma fragilidade muito grande em sua cúpula por questões de ego e a renuncia de Juan Carlos De La Cuesta bagunçou a diretoria. No meio de tanta confusão e troca de farpas via imprensa, o elenco ficou exposto e não teve a tranqüilidade necessária para trabalhar.