COMPARTILHAR
Projeto-Goal-Guaiaquil-FIFA-Futebol-Latino-15-01
Foto: Divulgação/FEF

Depois do trágico caso onde a arbitragem da partida entre Aucas e Universidad Católica pelo campeonato equatoriano sub-18 foi agredida por vários jogadores da equipe visitante, na última terça-feira (22) a Comissão Disciplinar da Federação Equatoriana de Futebol (FEF) julgou e puniu os responsáveis.

Leia mais: Marcelo Gallardo analisa empate contra o Flamengo e rebate provocação de Tevez
Santa Fe confirma vaga na Sul-Americana goleando o Emelec

Houveram duas modalidades diferentes de punição estabelecidas pela comissão. No aspecto coletivo, a equipe sub-18 do Trencito Azul foi excluída do campeonato e, no quesito individual, todos os jogadores envolvidos na confusão tiveram suspensão fixada em um ano além do treinador Adolfo Monsalve, um dos mais exaltados na agressões.

O advogado do clube que acompanhou o julgamento, Miguel Almeida, considerou que a decisão coletiva acabou sendo “fora dos limites” e afirmou que o clube deve recorrer. No entanto, o mesmo não valerá para a sentença aplicada em caráter individual.

“Os temas das suspensões dos jogadores e ao técnico nós não vamos apelar, isso nos comprometemos. Fomos claros e é algo que não podemos tolerar”, garantiu o advogado.

Árbitros envolvidos em protesto

Na última segunda-feira (21), o trio de arbitragem que trabalharia em Aucas x Universidad Católica pelo Primera Etapa sequer entrou em campo em forma de protesto as agressões do último final de semana.

Julgando se a situação era passível de punição, a Comissão Disciplinar decidiu absolver tanto o árbitro Omar Ponce como os assistentes Cristian Lescano e Juan Cruz.