COMPARTILHAR
Colombia's Atletico Nacional forward Orlando Berrio (C) vies for the ball with Argentina's Rosario Central defender Esteban Burgos (L) and midfielder Walter Montoya during their Copa Libertadores 2016 quarterfinals first leg football match at the "Gigante de Arroyito" stadium in Rosario, Santa Fe, Argentina, on May 12, 2016. / AFP / JUAN MABROMATA

O duelo pelas oitavas de final da Copa Libertadores do Atlético Nacional não será somente contra o estreante em mata-mata Atlético Tucumán. Isso porque os números são bastante negativos quando enfrenta uma equipe argentina em território adversário nessa competição especificamente no mata-mata.

Leia mais: Ex-Fluminense elogia artilheiro do BR-2018 e alimenta expectativa no Al Nasr
“Vamos dar a vida no Brasil”, declara Valdivia após vitória

Foram cinco jogos feitos nessa tipo de situação e, em todas elas, o time de Medellín saiu de campo sem conseguir uma vitória.

O máximo obtido dentro desse ambiente foram os empates contra o Vélez Sarsfield em 2012 e diante do Huracán, há dois anos atrás, oportunidade em que o clube Verdolaga foi campeão do torneio. No mais, derrotas para o Racing em 1989, para o River Plate em 1995 e para o Rosario Central em 2016.

Se serve de alento ao torcedor do time colombiano, tradicionalmente o aproveitamento pensando em qualificação diante de clubes de Argentina é bastante positivo mesmo nunca vencendo como visitante. Em todas as eliminatórias citadas, apenas diante do Vélez o Atlético Nacional foi eliminado.