COMPARTILHE
torcida-manchester-city-musica-gabriel-jesus-Futebol-Latino-28-01
Foto: Reprodução/Facebook Manchester City

Na última quarta-feira, Gabriel Jesus fez seu primeiro jogo como titular do Manchester City na Premier League. O menino revelado pelo Palmeiras foi muito bem. Em 39 minutos de partida, o jovem de 19 anos deu passe para gol e também balançou a rede pela primeira vez no clube novo.

Leia Mais: Nacional do Paraguai contrata meia do Botafogo para disputa da Copa Sul-Americana
Atacante espanhol não esconde emoção em conhecer Ronaldinho Gaúcho

O barulho com a atuação de Gabriel Jesus foi enorme. Na Inglaterra, os jornais exaltaram a atuação do brasileiro e alguns colocaram até o Manchester City na disputa pelo título, mesmo 10 pontos atrás do líder Chelsea.

Em três jogos, Gabriel demonstrou qualidade, poder de definição e outras qualidades que o fizeram alcançar o status de “queridinho da torcida”. Porém, o ex-palmeirense precisa manter a cabeça no lugar para não se tornar uma frustração na terra da Rainha.

Assim como Jesus, outros tantos brasileiros que eram considerados “craques” na terra tupiniquim, não conseguiram se tornar realidade na Europa. A lista é imensa com Robinho, Alexandre Pato e mais recentemente Lucas, do PSG.

O último deles inclusive é um caso que Gabriel precisa se inspirar. Após brilhar com a camisa do São Paulo, o atacante foi vendido por uma bolada ao clube francês e chegou arrebentando. Em uma partida contra o Valencia, pela Champions League, o brasileiro foi o grande destaque com belas jogadas e tanto a imprensa brasileira, como a francesa exaltaram a exibição do atleta.

Hoje em dia, Lucas não é nem de longe um dos principais jogadores do PSG e a Seleção Brasileira que convivia com as constantes convocações, passa bem longe das listas de Tite.

O talento de Gabriel Jesus é inquestionável. Nos dois anos que passou no futebol brasileiro, conquistou dois títulos nacionais, ganhou a 9 da Seleção Brasileira, foi vendido a um dos maiores clubes da atualidade, mas ainda tem 19 anos. Os altos e baixos serão rotina até ele se firmar na Europa. Só precisamos ter calma na hora de exaltar o início do jogador. Se não lapidarmos os comentários com ele, podemos exigir muito e queimar um talento de 19 anos.