COMPARTILHAR
Peru-Nova-Zelândia-repescagem-Copa-do-Mundo-Futebol-Latino-15-11
Foto: Arte Futebol Latino

A espera do torcedor do Peru acabou. Em partida realizada para um tomado Estádio Nacional de Lima, a equipe da casa bateu a Nova Zelândia por 2 a 0 e transformou o sonho da Blanquirroja de voltar a uma Copa do Mundo em realidade.

Leia mais: Análise FL: O quanto uma convocação prejudica um time?
Sócio-torcedor do Grêmio praticamente esgota ingressos da Libertadores

A pressão inicial dos donos da casa deu resultado logo aos dois minutos de jogo. Recebendo passe vindo do meio, o lateral-direito Luis Advíncula soltou a bomba e fez a bola explodir no travessão de Stefan Marinovic, agitando a já inflamada torcida peruana.

Apesar do número de vezes em que a Blanquirroja rondava a área adversária ser grande, a mesma questão do primeiro embate se repetia: De frente a uma verdadeira “barreira” dos neozelandeses, o Peru tinha dificuldade para criar uma movimentação suficientemente hábil para confundir a zaga de seu oponente.

As principais investidas pareciam vir pelo lado esquerdo nas subidas de Miguel Trauco, mas o lateral pecava na hora de fazer o cruzamento. Porém, foi daquele setor que veio a abertura do marcador aos 27 minutos.

Depois do avanço rápido de Christian Cueva em jogada de lançamento pela esquerda feito por Trauco, o meia-atacante percebeu a entrada de Jefferson Farfán e tocou para ele que, pegando firme na bola de pé-direito, venceu Marinovic e fez balançar o Estádio Nacional de Lima.

Os anfitriões ainda tivera uma outra boa chance de marcar depois de chute de longe dado pelo lateral-esquerdo do Flamengo, mas, em dois tempos, Marinovic evitou o rebote que estava quase que “se oferecendo” para Farfán.

A equipe que perdia o confronto se limitava a tentar suas jogadas de maior perigo pelo alto, apostando no porte físico de seus atletas para levar perigo. Porém, apenas em um escanteio aos 41 minutos com a conclusão de Winston Reid mais perto da meta de Pedro Gallese foi capaz de assustar um pouco a defesa peruana.

Após o intervalo, a entrada do artilheiro neozelandês Chris Wood começou a modificar para melhor essa aposta do selecionado da Oceania. Em dois lances que usou a cabeça, enquanto na primeira delas ajeitou para uma finalização cortada no último minuto pela zaga, na segunda, apesar da falta ter sido marcada pelo arbitragem anteriormente, ele exigiu grande defesa de Gallese.

O ingresso de Wood fez inclusive com que os All Whites se empolgassem com o bom momento e assumissem o controle do jogo diante de uma visivelmente assustada seleção peruana. No entanto, por ironia do destino e usando exatamente a bola parada que a Blanquirroja ampliou sua vantagem no marcador.

Com 19 minutos, Christian Ramos aproveitou a bola quicando dentro da área após cobrança de escanteio e encheu o pé, 2 a 0 Peru.

Dada a tática estabelecida pelos visitantes, as chances a partir dali de uma mudança de quadro diminuíram bastante para a Nova Zelândia. E, apesar de seguir sendo superior nas bolas aéreas, não foi nada que atrapalhasse a festa da torcida da casa no apito final do árbitro francês Clément Turpin.