Foto: Reprodução/DIEZ

Parece filme repetido, mas infelizmente não é. Depois da própria entidade protetora dos direitos dos jogadores profissionais da Bolívia (FABOL) ter indicado a possibilidade de paralisação por falta de pagamento em agosto do ano passado, agora jogadores do Blooming prometeram e cumpriram.

Leia mais: Fora dos planos, oito jogadores se reapresentam no Internacional
De volta ao Boca, Tevez tem reestreia marcada diante de River

Um grupo de jogadores que estavam convocados para fazerem parte dos primeiros trabalhos de pré-temporada que aconteceriam nessa segunda-feira (8) fizeram questão de deixar claro o fato de não participarem das atividades em forma de protesto com dívidas do clube.

Segundo o que foi dito, resta para a equipe de Santa Cruz de la Sierra quitar parte do ordenado de outubro, em torno de 40%, e o mês de novembro integralmente. Os atletas chegaram a aparecer na sede social do clube, mas deixaram as dependências depois de se reunirem com dois dirigentes do clube Celeste: Tito Paz, gerente-geral, e Fernando Cuéllar, gerente administrativo.

Em sua defesa, os diretores do clube atestaram ao portal boliviano DIEZ que estão aguardando um retorno financeiro da Conmebol referente a sua classificação para a Copa Sul-Americana e, então, terá fundos para quitar as dívidas.

Seja lá como for, o tempo corre contra o Blooming já que, no próximo dia 21 de janeiro, a equipe precisa estar pronta para a estreia no Apertura 2018.