COMPARTILHAR
Atlético-PR-Caracas-Copa-Sul-Americana-Futebol-Latino-1-03-10
Foto: Miguel Locatelli

Mesmo sem brilhar, o Atlético-PR fez o suficiente para bater de novo o Caracas, dessa vez na Arena da Baixada. Com gols de Marcelo Cirino e Renan Lodi (Robert Garcés diminuiu a conta), o Furacão venceu por 2 a 1 e se colocou nas quartas de final da Copa Sul-Americana.

Leia mais: Revelação do Boca Juniors volta a entrar na mira do Barcelona
Confira dez recordes obtidos pelo aniversariante Claudio Pizarro

O jogo

Antes dos 10 primeiros minutos de jogo, o Atlético-PR honrava o apelido de Furacão e já tinha chegado em pelo menos três investidas com bastante perigo. Se em duas delas a bola parou em defesas importantes do arqueiro Christian Flores, na terceira o centroavante Pablo, quase sem ângulo, chutou lateralmente e ela quase “traiu” o goleiro venezuelano indo no canto oposto.

Mesmo sem o time paranaense fazer uma marcação mais aguda, próxima a defesa dos Diablos Rojos, o Caracas demonstrava no início sérias dificuldades para a criação de jogadas. Tanto é que, quando tinha a posse, tentava lançamentos um tanto quanto despropositados, mais “se livrando” da bola do que almejando levar perigo a meta adversária.

Porém, com o passar o tempo, os visitantes foram se acertando na marcação e, também contando com vários erros na saída de bola do Atlético-PR, começou a chegar com perigo nas duas finalizações de Jesús Arrieta e, principalmente, na pancada de fora da área do volante Robert Garcés.

Aos 30 minutos, o torcedor que já ficava apreensivo na Arena da Baixada soltou o grito de gol. Após cruzamento de Renan Lodi parcialmente cortado pela zaga venezuelana, a bola sobrou nos pés de Marcelo Cirino que chutou firme e contou com o desvio no zagueiro Rubert Quijada para balançar as redes de Flores.

Já no último lance da primeira etapa, Arrieta apareceu novamente dentro da área do Furacão e cabeceou com muito perigo sobre a meta de Santos.

Atlético-PR-Caracas-Copa-Sul-Americana-Futebol-Latino-03-10
Foto: Guilherme Artigas/Fotoarena

Segundo tempo

Logo aos três minutos, um belo passe dado por Diomar Díaz foi recebido com estilo por Robert Garcés que se infiltrou na grande área brasileira e, ao ficar frente a frente com o goleiro Santos para finalizar, bateu firme no canto esquerdo e igualou o placar em Curitiba.

O jogo ameaçava ficar novamente tenso, da mesma maneira que esteve antes do Furacão abrir a conta. Tanto é que Arrieta, mais uma vez, já tinha chegado ao ataque em chute de fora da área.

Contudo, depois de algumas chegadas passando perto, o time da casa voltou a pular na frente do placar com Renan Lodi. Em lindo passe dado por Pablo, praticamente de costas para o companheiro, o lateral-esquerdo do Atlético entrou na grande área e bateu no extremo canto esquerdo de Christian Flores para fazer 2 a 1.

Depois disso, o Caracas claramente demonstrou não ter mais forças para buscar a vaga e o Furacão administrou bem a partida até o final.