Em seu primeiro jogo na história em um mata-mata de Copa Libertadores, o Atlético Tucumán mostrou muito bem diante do Atlético Nacional que não veio “a passeio”. Jogando no Monumental José Fierro, a equipe argentina leva uma ótima vantagem para a Colômbia após ganhar por 2 a 0.

Leia mais: Com um a menos, River Plate segura empate e pressão do Racing em Avellaneda
Vasco luta bastante, vence, mas a LDU continua na Sul-Americana

O jogo

Logo com dois minutos de jogo, as equipes mal haviam encontrado seu posicionamento e os anfitriões já levavam perigo em cobrança de escanteio quando Guillermo Acosta, aparecendo nas costas da defesa colombiana, cabeceou bem após cobrança de escanteio e assustou a zaga adversária.

Aos sete minutos, um erro bizarro cometido pelo goleiro Fernando Monetti abriu a conta para os donos da casa com o atacante Leandro Díaz demonstrando claramente que estava ligado no jogo. Em um passe fraco e errado do arqueiro Verdolaga, Díaz antecipou e bateu de perna esquerda para balançar as estruturas do Monumental José Fierro.

Mesmo com a superioridade no placar, não era o Atlético Tucumán que tinha maior posse de bola em grande parte da primeira etapa e sim o time de Medellin. Porém, com bastante dificuldade para furar o bloqueio defensivo dos argentinos, isso pouco fazia diferença e o fato de que o goleiro Cristian Lucchetti não tinha real trabalho seguia igual.

“Controlando” o Atlético Nacional no aspecto de não permitir com que o jogo entrasse em um ritmo mais rápido, o time argentino  seguiu para os vestiários com a vantagem mínima no marcador de 1 a 0.

Segundo tempo

A volta do intervalo persistiu com o mesmo panorama que predominou durante os primeiros 45 minutos: O Atlético Nacional tendo a bola enquanto a equipe da casa, retraída, aguardava pacientemente no seu campo defensivo e, por vezes, subia um pouco a marcação para dificultar o início das jogadas colombianas.

Sem ter a velocidade necessária para confundir a marcação, os visitantes não conseguiam envolver a defesa do Tucumán mesmo contando com atacantes rápidos do calibre de Jeison Lucumí e Ronaldo Lenis, ex-Sport.

Por sua vez, o clube Albiceleste sabia ser cirúrgico já que, mesmo chegando pouco, quando o fazia era efetivo. Aos 25 minutos, em bela infiltração iniciada pelo lateral-direito José San Román, o chute de Leandro Díaz cara a cara com Monetti bateu no travessão e, no rebote, Acosta testou para ela morrer mansamente nas redes da equipe de Medellín.

O tento só condicionou ainda mais os anfitriões a insistirem na filosofia de retração no campo de defesa e fechar os espaços que já estava sendo utilizada. Com pouca força criativa e de velocidade para reagir por parte do Verdolaga, o embate seguiu sem nova alteração no marcador até o apito final do árbitro paraguaio Éber Aquino.