Foto: Divulgação/Boca Juniors

Jorge Wilstermann e Boca Juniors bem que tentaram, mas a pontaria dos ataques não foi o suficiente para balançar a rede e o duelo de Cochabamba terminou empatado sem gols.

Leia Mais: Na abertura do Grupo C, Godoy Cruz e Olimpia ficam no empate sem gols
Gabigol decide e Flamengo vence na estreia da Libertadores

Na próxima rodada, o Boca Juniors encara o Tolima, na La Bombonera. Enquanto isso, o Jorge Wilstermann visita o Athletico, na Arena da Baixada.

O jogo

O primeiro tempo teve o Jorge Wilstermann mais presente no campo de ataque. Como era esperado, o time da casa explorava os chutes de fora da área para surpreender Andrada, mas faltava pontaria.

Quando a pressão diminuiu, o Boca Juniors tentou sair para o jogo e foi prejudicado pela arbitragem. Após a zaga afastar mal, a bola sobrou para Almendra, que foi derrubado por Alex Silva. O arbitro fez vista grossa e não deu o pênalti para o time argentino.

Nos minutos finais, o Wilstermann criou uma boa oportunidade em bola parada. Na cobrança de falta, Fernando Saucedo tirou tinta da trave.

Na etapa final o Boca Juniors tentou sair para o jogo. Carlitos Tevez chamou um pouco mais a responsabilidade e municiava seus companheiros. Nos primeiros minutos Benedetto saiu na grande área e assustou o goleiro.

Apesar do susto, o Jorge Wilstermann reassumiu o controle do jogo e desperdiçou um lance incrível. No cruzamento, Alex Silva recebeu na área e cabeceou. O zagueiro salvou na primeira e no rebote Meleán pegou de voleio para Andrada executar um milagre.

Ao perceber que o jogo era pelas laterais, o time boliviano voltou a usar a velocidade nos lados do campo e no levantamento da esquerda, Lucas Gaúcho apareceu entre os zagueiros para chutar perto do gol.

Tímido no ataque, o Boca Juniors criou a melhor chance com Reynoso. O atacante deixou dois marcadores na saudade, invadiu a grande área e achou Nández. O uruguaio ajeitou e bateu cruzado. A bola triscou a trave e saiu pela linha de fundo.