COMPARTILHAR
Foto: AFP

A novela entre Claudio Bravo e seleção chilena ganhou mais um capítulo nesta sexta-feira. Sem participar dos amistosos com a Roja, o goleiro do Manchester City desembarcou em Santiago e conversou brevemente com a imprensa sobre sua posição no selecionado de Reinaldo Rueda.

De acordo com Bravo, ele não se aposentou da seleção e que voltaria a defender o Chile se fosse chamado pelo comandante.

“Em momento algum anunciei oficialmente a minha saída da seleção. Estou disposto a ajudar nesta reformulação, mas não depende apenas da minha vontade. O técnico precisa me convocar”.

Questionado se ainda sonhava em jogar a Copa América no próximo ano, Bravo voltou a jogar a responsabilidade em Rueda.

“Depende do treinador. Se ele me chamar irei com o maior prazer, mas se não me convocar, a única coisa que vai restar é torcer pelos meus companheiros.

No momento mais tenso da conversa, Bravo falou publicamente sobre Arturo Vidal e garantiu que não vai pedir desculpas ao meio-campista por conta das polêmicas na reta final das Eliminatórias.

“Não tenho que falar nada com ninguém, acredito que cada um tem em mente o que aconteceu. O Vidal não é a seleção do Chile, o Bravo não é a seleção do Chile. A nossa equipe é formada por mais de vinte atletas e a comissão técnica. Não preciso pedir perdão a ninguém”, afirmou.

Relembre a discussão

Após a não classificação para a Copa do Mundo, a seleção chilena explodiu de polêmicas e a esposa de Claudio Bravo atacou alguns jogadores, entre eles, o volante Arturo Vidal.

Em outro momento, o próprio goleiro revelou que o atleta do Bayern de Munique chegava embriagado nas concentrações e não tinha o mesmo comprometimento dos companheiros.