SHARE
colega-de-neymar-no-psg-rebate-insatisfacao-do-elenco-com-o-brasileiro-Futebol-Latino-14-11
Foto: Icon Sport via Getty Images

Depois de possíveis problemas de relacionamento com o uruguaio Edinson Cavani e até mesmo com o técnico Unai Emery, o atacante brasileiro Neymar foi colocado como tendo determinados privilégios no clube que estariam incomodando os demais integrantes do elenco do Paris Saint-Germain.

Leia mais: Com ingresso de até R$ 400, Grêmio abre vendas para decisão da Libertadores
Confira os prognósticos para o duelo entre Brasil e Inglaterra

Dentre os itens que foram listados nesse cenário pelo jornal francês Le Parisien no final do mês de outubro estão a não-obrigação de ajudar na marcação, não receber chegadas mais duras nos treinamentos, ter dois profissionais de fisioterapia exclusivos e até poder usar itens de seus patrocinadores pessoais, mesmo sendo diferentes dos apoiadores do clube francês.

Estando junto com a sua seleção para uma sequência de amistosos preparatórios para o Mundial do ano que vem (empate em 0 a 0 com a Inglaterra e enfrentando a França nessa terça-feira às 17h45), o meia alemão Julien Draxler, companheiro de Neymar no PSG, fez questão de defender o atleta sul-americano em entrevista.

Mesmo chegando até mesmo a admitir que o camisa 10 possa ter alguns privilégios, ele acredita que isso faz parte de uma situação não só natural, mas também de merecimento:

“Muitas coisas incorretas são ditas dele. Ele é jovem, respeitoso e que sabe o seu valor para o time. Acho que por isso ele tem alguns privilégios. Talvez ele tenha os pedido, eu não sei. Entretanto, um jogador como ele tem esse direito. Os outros jogadores não estão com ciúmes ou bravos por isso.”

Além de tocar nesse ponto, Draxler também aproveitou para criticar a cobertura feita sobre os problemas na definição do batedor oficial de pênaltis entre Neymar e Cavani:

“Teve a história do pênalti com o Edinson, que ocorreu entre um e dois dias. Entretanto, todo mundo continuou falando disso por cinco ou seis semanas depois. Acho que isso é somente uma parte, uma parcela da vida de uma superestrela como o Neymar.”

  • Aureliano Andrade Castelo Bran

    Muito feliz em sua colocação, “pela importância que o brasileiro possui para o time, ele possui o direito de ter privilégios” justo e honesto é sinal de humildade, ele pode ser marrento como for, o Romario tbm era, o que importa é resolver dentro de campo, fora é outra conversa, é a vida dele pessoal, não interessa a ninguém assim como a minha.