COMPARTILHAR
Delfín-Colo-Colo-Copa-Libertadores-Futebol-Latino-02-05
Foto: Arte Futebol Latino

O Colo-Colo sobrevive. Correndo o risco de ficar praticamente fora da Libertadores em caso de derrota, o time chileno respondeu bem e venceu o Delfín por 2 a 1. Com o resultado, o Cacique chegou aos quatro pontos, mesma pontuação do rival equatoriano e um a menos que o vice-líder Bolívar.

Na próxima rodada, o Colo-Colo recebe a visita do Bolívar no Monumental de Santiago. Já o Delfín joga contra o Atlético Nacional.

O jogo

O duelo começou com 50 minutos de atraso por conta da falta de luz no estádio Jocay. Quando a bola rolou, o Colo-Colo deu mostras que estava desligado e por dois momentos quase entregou o gol para o rival. No erro mais grotesco, Zaldivia tentou recuar para o goleiro e deu nos pés de Garces, que só não marcou porque Orión conseguiu sair nos pés do atacante.

Pelos lados do Colo-Colo, o meia Valdivia era o principal jogador da equipe. O camisa 10 estava afim de jogo e municiava o ataque chileno. Em lance que iniciou com o Mago, Paredes tocou para Valdes, que entrou na grande área e fuzilou, 1 a 0.

O Delfín sentiu o gol e cedeu espaço na defesa. O time Cacique aproveitava e chegava com facilidade na grande área, mas falhava na hora de concluir e perdia a chance de matar o confronto.

Na reta final do primeiro tempo o Colo-Colo ampliou. Valdivia foi derrubado pelo goleiro e o juiz deu pênalti. No meio da reclamação equatoriana, Nazareno bateu palma ironicamente e o árbitro mandou o jogador para o chuveiro. Na cobrança, Paredes bateu no centro e saiu para o abraço, 2 a 0.

No segundo tempo o time chileno adotou uma postura mais retraída e trocando passes. Já o Delfín acelerava a jogada, mas criava chances na bola aérea. Na mais clara, Luis Luna saiu da marcação, mas falhou na finalização e viu a bola sair pela linha de fundo.

Quando a partida parecia decidida, o Delfín colocou fogo. Após bela jogada pela direita, Mera cruzou e Luis Chicaiza soltou a bomba da entrada da pequena área, 2 a 1.

Nos minutos finais, o Delfín teve a grande chance de empatar, mas falhou de maneira bizarra. No levantamento, Gutierrez ganhou do zagueiro e a bola sobrou limpa para Mera. O camisa 4 chutou torto e mandou nas arquibancadas.