SHARE
Libertad-Racing-Copa-Sul-Americana-Futebol-Latino-24-10
Foto: Arte Futebol Latino

Uma vitória em casa sem tomar gols é o sonho de qualquer equipe em um mata-mata. E foi exatamente o que aconteceu com o Libertad, superando o Racing por 1 a 0 no Defensores del Chaco pela Copa Sul-Americana.

Leia mais: Estrela de Scocco brilha e River Plate vence Lanús no Monumental de Núñez
Náutico fica no 0 a 0 com o Juventude e se complica ainda mais na Série B

Logo com um minuto de jogo, o goleiro Rodrigo Muñoz deu uma grande vacilada em recuo de bola que, por pouco, quase se transformou em um precoce gol para o Racing. No entanto, depois disso, o Libertad fez bom uso de seu time que mescla com equilíbrio a experiência dos atletas mais velhos com a velocidade e precisão das jovens promessas.

Depois de rondar bastante a área dos argentinos armando jogadas com um qualificado toque de bola, a abertura do marcador veio aos 25 da etapa inicial. Depois de cruzamento para dentro da grande área em cobrança rápida de falta, Óscar Cardozo mostrou toda sua vivência futebolística e ajeitou bem para Santiago Salcedo concluir com força, vencendo Juan Musso.

O gol fez com que o Racing “acordasse” dentro da partida, se arriscando mais no plano ofensivo e conseguindo colocar em dificuldades a parte de marcação dos donos da casa.

Praticamente em sequência, Enrique Triverio, em finalização quase na pequena área, e o zagueiro Sergio Vittor, em cabeçada perigosa, passaram perto de igualar as coisas em Assunção, mostrando que os visitantes não poderiam ser totalmente descartados.

A volta do embate no segundo tempo mostrou o Racing ainda bastante determinado a marcar pelo menos um gol no Paraguai. Tanto é que, até os 15 minutos, somente os argentinos chegavam a frente de maneira mais aguda. Com Lautaro Martínez entrando no lugar de Triverio, quem começou a aparecer mais vezes e com uma atitude bem mais proativa do que anteriormente foi o experiente Lisandro López.

No entanto, os argentinos, dentro dessa pressão, conseguiram apenas um bom chute de fora da área com “Licha” defendido em dois tempos por Muñoz e mostrar o caminho que o Libertad precisava para voltar a ter as rédeas do duelo.

Vendo os espaços que a equipe de Avellaneda começou a ceder, os paraguaios trocavam passes rápidos em sua saída de bola ou mesmo marcavam mais a frente para se aproveitar do posicionamento ofensivo dos visitantes.

Foram pelo menos três oportunidades onde o Gumarelo poderia ter ampliado sua dianteira, duas delas mais claras com Jesús Medina, mas não houve capricho suficiente na finalização.

Com isso, a partida não mais teve alterações no seu placar com o apito final de Raphael Claus, levando o Libertad a poder empatar na Argentina no próximo dia 1 de Novembro que, mesmo assim, segue na competição. Para o Racing, só interessa vencer por 1 a 0 para levar as penalidades ou por mais ou igual a dois gols de diferença para reverter os efeitos da derrota como visitante.