Foto: AFP

Nesta terça-feira, o Futebol Latino dá sequência a série de grandes nomes que brilharam na história da Copa América, seja com títulos ou grandes atuações que marcaram época em seus países.

Leia Mais: Mali busca empate homérico e elimina a Argentina nos pênaltis no Sub-20
A pedido de Pizzi, San Lorenzo acerta renovação com Coloccini

Os escolhidos do dia são os jogadores que vestiram a camisa 4. Confira abaixo três nomes:

Carlos Gamarra

Recentemente, Carlos Gamarra concedeu entrevista ao canal fechado SporTV e revelou que não é reconhecido em seu país, o Paraguai, como é no Brasil. Independente de reconhecerem o seu valor ou não, o camisa 4 que brilhou na história da albirroja tem um espaço reservado dentro do Futebol Latino.

Após uma passagem pelo Internacional, Carlos Gamarra desembarcou no Corinthians para marcar o seu nome na história Alvinegra. Diferente do que muitos pregam que zagueiro precisa ser alto e truculento, o paraguaio dava aula de marcação e roubava a bola do adversário sem jogadas brutas.

Em 1999, o Paraguai foi sede da Copa América e Gamarra jogou de titular. O país ficou nas quartas de final, mas isso não impediu o zagueiro de brilhar. Na disputa de pênaltis contra o Uruguai, jogo que marcou a eliminação da equipe, ele converteu a sua cobrança e saiu de cabeça erguida.

Juan

Revelado pelo Flamengo, Juan sempre deu indícios desde a categoria de base que iria brilhar no futebol. Não deu outra. Assim que surgiu no time profissional acabou negociado com a Europa e a sua ida a Seleção Brasileira foi questão de tempo.

Em 2004, com uma equipe B do Brasil, Juan formou dupla com Luisão e conquistou o título em cima da Argentina, em uma das finais que marcaram a história da competição. Após empate no tempo normal, o defensor anotou o gol na decisão de pênaltis que deu o título aos brasileiros.

Javier Zanetti

Considerado um dos maiores jogadores da Argentina, Zanetti foi revelado pelo Banfield em 1992. Duas temporadas depois pintou a primeira convocação para a seleção albiceleste e nunca mais saiu até o fim da carreira.

A sua melhor participação veio em 2004, quando a Argentina foi superada pelo Brasil na grande final. Mesmo sem o título, o jogador que na época já deixava a sua marca na história da Inter de Milão, fez uma competição segura e acabou eleito um dos melhores da Copa América.