COMPARTILHAR
departamento-medico-argentina-se-pronuncia-lesao-messi-Futebol-Latino-28-05
Foto: Divulgação/AFA

Dizer que apenas um nome seria capaz de conduzir uma seleção ao título da Copa do Mundo é pedante demais. Fardo suficientemente pesado para, com o passar da história, já ter “derrubado” nomes consagrados do esporte. A Argentina de Lionel Messi vive isso. Sente isso. E, mais do que tudo, precisa superar isso.

Leia mais: Lenda uruguaia alfineta seleção candidata ao título da Copa do Mundo
Em novo clube, atacante brasileiro vive excelente sequência de vitórias

Ter em suas opções ofensivas uma peça tão imprevisível quanto cobrada pelo seu talento é uma dádiva. Um presente dos deuses do futebol (algo que, para os argentinos, se resume em Dios Armando Maradona). Mas aproveitar isso, única e exclusivamente isso, parece não ser suficiente. Não tem sido o bastante para obter as glórias que a Albiceleste anseia desesperadamente desde o longínquo 1993 e a Copa América do mesmo ano.

O resumo da ópera não é Messi. Mas todas as sinfonias, ensaios e arranjos conduzem as estrelas dessa constelação como Di María, Aguero, Dybala, Higuaín e companhia ao seu maestro genial. Ao seu elemento que, mesmo em dias menos inspirados, é capaz de produzir lampejos de habilidade sobre-humana para tornar o improvável uma questão de tempo.

Só apostar nesse recurso chega a ser uma irresponsabilidade. Ainda mais pensando no esporte onde a tática, posicionamento e respeito aos conceitos defensivos e de movimentação estão de maneira absolutamente intrínseca. Quase que integradas como elemento obrigatório rumo ao sucesso.

Entretanto, é justamente nisso que se baseia a genialidade. É nesse lapso de opções, de alternativas, de modos mais “comuns” de conseguir as vitórias que aparece o toque de quem é diferente. Acima da média. Fora de qualquer critério de comparação.

Mediante aos problemas já apresentados pela Argentina, mesmo olhando para as peças a disposição, não há muitas dúvidas. Nesse mundial, a seleção sul-americana será de, com e por Messi.