COMPARTILHAR
com-goleada-emelec-abre-grande-vantagem-na-final-do-equatoriano-Futebol-Latino
Foto: Carlos Barros

*Equipe Odds Shark

O Delfín venceu a primeira fase e teve a melhor campanha ao longo da temporada de 2017. No entanto, o Emelec cresceu no segundo turno, se classificou para a final e desbancou a zebra de Manta, que segue sem nenhum título da primeira divisão. Confira como foi o futebol equatoriano no ano passado, segundo o Oddsshark.com.

Décimo-quarto título do Emelec

Assim como muitos vizinhos latino-americanos, o Campeonato Equatoriano da Série A é dividido em duas metades. Pelo menos, neste país, os vencedores de cada parte decidem o título nacional.

Na Primeira Fase (o que seria o Torneo Apertura em muitas nações), os doze times se enfrentaram em turno e returno. Ao final das 22 pelejas, o Delfín terminou na ponta com 47 pontos, nove a mais que o Emelec. As vagas na final e na Libertadores estavam garantidas.

A agremiação azul foi fundada somente em 1989. Seus feitos se resumem aos títulos da segundona de 1989 (Invierno) e 2015, além do da terceirona de 2013. Foi um feito e tanto para a cidade de Manta, que está acostumada a assistir ao revezamento entre as equipes de Quito e Guayaquil dando voltas olímpicas.

Na segunda fase, o Cetáceo não conseguiu manter o ritmo e viu o Emelec dominar o certame com 45 pontos. Os de amarelo e azul caíram para o quarto lugar com 37 pontos, chegando atrás de Nacional e Macará.

Na decisão, o Bombillo conseguiu os seis pontos: 4 a 2 (R$ 1,57 / um, segundo o Oddsshark.com), no Estádio Banco del Pacífico e 2 a 0 (R$ 2,85 / um) na estrada.

Foi a décima-quarta conquista do Emelec, que está a uma taça de igualar o Barcelona e tem uma de vantagem para o Nacional. A LDU de Quito tem dez títulos e o Deportivo Quito cinco. Deportivo Cuenca, Olmedo e Everest só venceram em uma única oportunidade.

Campeão da segundona quase foi parar na Copa Sul-Americana

A Série B equatoriana tem uma fórmula simples de disputa. Os doze participantes jogam entre si em quatro turnos. Ao final das 44 jornadas, o Técnico Universitario, de Ambato, somou 79 pontos. Além do título, os alvirrubros garantiram vagas na primeira divisão e na repescagem para chegar à Copa Sul-Americana. O Aucas acumulou um ponto a menos, mas também garantiu sua promoção. Os dois piores foram Imbabura e Colón, que terão de desfilar na terceira divisão este ano.

Apesar da vontade em entrar na Copa Sul-americana, o playoff contra a LDU de Quito, acabou confirmando os universitários na contenda da CONMEBOL: 2 a 1 (R$ 1,91 / um) e 3 a 3 (R$ 4,84 / um, de acordo com o Oddsshark.com).

O papel dos equatorianos na Libertadores

Os dois participantes da fase preliminar não sobreviveram aos mata-matas. O Independiente del Valle até que passou pelo Municipal peruano. Logo depois, caiu perante o Olimpia. O Nacional tampouco resistiu ao Atlético Tucumán.

Barcelona e Emelec passaram da fase de grupos em segundo lugar. Os Canários terminaram atrás do Botafogo, mas superaram Estudiantes e Nacional-COL. Já o Emelec, não resistiu ao River Plate, mas se impôs a Independiente de Medellín e ao Melgar.

A despedida dos alvianis foi nos pênaltis para o San Lorenzo, nas oitavas de final.

O Barça tirou o Palmeiras, nos pênaltis, o Santos e só não chegou à final porque cruzou com o futuro campeão Grêmio na semi.

LDU de Quito chegou às oitavas da Copa Sul-Americana

Na primeira eliminatória, apenas o Deportivo Cuenca caiu. Foi nos pênaltis contra o Oriente Petrolero. Universidad Católica, LDU de Quito e Fuerza Amarilla despacharam respectivamente Petrolero, Defensor e O’Higgins.

Na segunda fase, a LDU bateu o Bolívar nas penalidades máximas. Já Fuerza Amarilla e Universidad Católica não resistiram respectivamente a Independiente Santa Fé e Fluminense.

Nas oitavas de final, os gols fora de casa foram cruéis com os alvos: derrota de 1 a 0 para o Fluminense no Maracanã e vitória amarga em casa por 2 a 1.

Leia mais em Futebol Latino.

Classificação Agregada 2017:

1º Delfín – 84 – Taça Libertadores (fase de grupos).

2º Emelec – 83 – Campeão + Taça Libertadores (fase de grupos).

3º Independiente del Valle – 71 – Taça Libertadores (2ª fase).

4º Macará – 70 – Taça Libertadores (1ª fase).

5ºBarcelona – 67 – Copa Sul-Americana.

6º Nacional – 64 – Copa Sul-Americana.

7º Deportivo Cuenca – 61 – Copa Sul-Americana.

8º LDU de Quito – 54 – Repescagem da Copa Sul-Americana.

9º Universidad Católica – 45

10º Guayaquil City – 45

11º Clan Juvenil – 29 – Série B.

12º Fuerza Amarilla – 28 – Série B.