COMPARTILHAR
Campeonato Venezuelano: No Clausura o dono da festa foi o Deportivo Lara, que mostrou sua força e levou a taça e uma vaga na fase de grupos da Libertadores

*Equipe Odds Shark

A Venezuela chegou a cogitar a possibilidade de chegar à Copa do Mundo devido a uma melhora substancial em seus selecionados profissionais e de base em 2015 e 2016. Os clubes também estavam melhorando e complicando a vida de rivais de países mais tradicionais no velho esporte bretão. O ano passado foi uma tremenda ducha de água fria, porém. A Vinotinto ficou de fora da festa da Rússia e os times se mostraram incompatíveis com o restante da América do Sul. Confira como foi 2017, segundo o Oddsshark.com.

Como foi o certame?

Assim como em muitos países vizinhos, o Campeonato Venezuelano é dividido em Apertura e Clausura. Em cada um deles, há uma fase regular onde os 18 participantes jogam entre si em 17 rodadas. Os oito melhores avançam para os playoffs, que definem o campeão.

No primeiro turno, o Táchira foi o melhor da primeira etapa com 36 pontos. No entanto, sorriu por último o Monagas, sexto da classificação inicial, com 26 pontos.

O Táchira caiu logo na primeira eliminatória diante do Deportivo La Guaira. O Monagas passou por Zamora e Carabobo para chegar à final contra o Caracas.

Os Guerreros de Guarapiche bateram os Rojos del Ávila nos gols fora de casa: 1 a 0 (R$ 2,04 / um) e 1 a 2 (R$ 1,87 / um, segundo o Oddsshark.com).

No returno, o Deportivo Lara se impôs desde o início e fez por merecer seu segundo título ligueiro. Na primeira fase, terminou lá em cima com 36 pontos.

No mata-mata, não tomou conhecimento de Zamora e Monagas.

A final foi sofrida e o rubro-negro precisou dos pênaltis para superar o Mineros: 0 a 1 (R$ 2,15 / um, de acordo com o Oddsshark.com) em Guayana; 1 a 0 (R$ 1,98 / um) em Cabudare e 4 a 3 nos pênaltis.

Para apontar o melhor quadro de 2017, Monagas e Deportivo Lara protagonizaram dois espetáculos eletrizantes. No primeiro, em Maturín, o Deportivo Lara ganhou por 1 a 0 (R$ 3,76 / um). Na volta, diante de sua torcida, os rojinegros deixaram a taça escapar: Monagas 2 a 0 (R$ 3,42 / um).

Mineros conquista a Copa Venezuela

Sessenta clubes se inscreveram na Copa da Venezuela. A primeira fase contou com a presença de 21 agremiações da terceira divisão. Na segunda etapa, entraram 21 concorrentes da série B. Os clubes da elite estrearam na terceira rodada.

O Mineros se impôs a Minasoro, Caracas, Margarita, Estudiantes de Caracas e Zamora para ficar com o caneco. Foi sua terceira conquista copeira após os sucessos de 1984 e 2011. Os alvinegros só foram campeões da liga uma vez, em 1989.

Estudiantes de Caracas vence segundona

A segundona venezuelana contou com vinte e quatro participantes em 2017. O Estudiantes de Caracas conquistou seu primeiro título oficial ao bater o Gran Valencia na decisão. Os dois finalistas foram promovidos à elite nos lugares de Deportivo JBL e Atlético Socopó.

Libertadores: ano para esquecer

A Venezuela não pode fazer pior na Libertadores de 2018 do que fez ano passado. Nas fases preliminares, o Táchira foi rapidamente batido pelo Deportivo Capiatá paraguaio, enquanto que o Carabobo era nocauteado pelo Atlético Júnior.

Na fase de grupos, Zulia e Zamora terminaram em último lugar respectivamente nas chaves 7 e 8. O primeiro ficou atrás de Lanús, Nacional-URU e Chapecoense. O segundo perdeu para Grêmio, Guaraní e Deportes Iquique.

Copa Sul-Americana: não deu nem para o começo

Depois do fracasso na Libertadores, esperava-se mais dos venezuelanos na Copa Sul-Americana. Infelizmente, os quatro representantes do país de Nicolás Maduro ficaram pela primeira rodada.

O Atlético Venezuela quase passou pelo Palestino chileno, mas os pênaltis foram cruéis.

O Caracas complicou a vida do Cerro Porteño, mas acabou de fora: 1 a 1 e 1 a 2.

O Deportivo Anzoátegui foi uma grande decepção contra o Huracán. Depois de golear em casa por 3 a 0, tomou de 4 a 0 na Argentina.

Finalmente, o Estudiantes de Caracas foi uma presa fácil para o Sol de América paraguaio: derrotas de 3 a 2 e 7 a 1.

Vagas internacionais em 2018

O regulamento do Campeonato Venezuelano é assim, confuso: os vencedores dos Torneos Apertura e Clausura garantem vagas nos grupos da Libertadores. Para a principal competição continental seguem também os dois melhores da classificação agregada.

Entram na Copa Sul-Americana o campeão da Copa Venezuela, a melhor equipe da classificação geral ainda não classificado e o vice-campeão de cada turno. No entanto, como no Clausura, o Mineros já havia garantido uma vaga, o Estudiantes de Mérida acabou beneficiado.

Leia mais em Futebol Latino.

Classificação Final:

1º Carabobo – 66 – Taça Libertadores (2ª fase).

2º Táchira – 59 – Taça Libertadores (1ª fase).

3º Mineros – 56 – Copa Sul-Americana.

4º Deportivo Lara – 55 – Taça Libertadores (fase de grupos).

5º Zamora – 54 – Copa Sul-Americana.

6º Monagas – 53 – Taça Libertadores (fase de grupos).

7º Caracas – 53 – Copa Sul-Americana.

8º Deportivo La Guaira – 47

9º Estudiantes de Mérida – 46 – Copa Sul-Americana.

10º Zulia – 44

11º Trujillanos – 40

12º Deportivo Anzoátegui – 39

13º Aragua – 39

14º Portuguesa – 38

15º Metropolitanos – 38

16º Atlético Venezuela – 36

17º Deportivo JBL – 35 – Segunda División.

18º Atlético Socopó – 27 – Segunda División.