Foto: Divulgação

Quando o árbitro tem influência direta no resultado de uma partida o dirigente costuma ir até a imprensa para reclamar, xingar o chefe dos árbitros, dirigentes de federação ou até mesmo entregar um DVD com os erros do homem do apito.

Leia Mais: River Plate é só elogios a gramado sintético da Arena da Baixada
Clube sul-americano recebe uma péssima notícia sobre a contratação de Pizarro

Porém, a América do Sul continua no seu processo de inovar nos em momentos de revolta e Gerardo Escobar, vice-presidente do Sarmiento de Resistência, que figura a Segunda Divisão do futebol argentino, resolveu se acorrentar em frente ao prédio da AFA até ser recebido por algum diretor da entidade.

O motivo da revolta se deu por conta do jogo entre Sarmiento e Estudiantes de Río Cuarto. O Estudiantes venceu por 2 a 0 e Juan Tejera, zagueiro do clube vencedor, confessou em áudio que o seu time tem um acordo para ser beneficiado pela arbitragem.

‘Nos roubaram o jogo contra eles e o campeonato. Nos roubaram a ilusão do último acesso. Os árbitros ganharam as partidas. Nós tínhamos a noção de que o Estudiantes tinha que subir, mas nunca pensamos que fosse tão descaradamente’, declarou Gerardo Escobar, ao canal ‘TyC Sports’.

A tática do dirigente deu certo. No dia seguinte ao protesto, Escobar foi recebido por executivos da AFA que aceitaram o seu pedido e o processo será analisado.

Confira o áudio

‘Supostamente, quando vim para cá (Estudiantes), o presidente me disse: “Pode vir que vamos subir, já está tudo conversado, este ano nós vamos subir”. Pensei que íamos jogar futebol e que íamos ganhar pela equipe que tínhamos. Passando as partidas, os árbitros começaram a marcar a favor da gente (…). Sempre havia um pênalti a favor. Visitante ou mandante, ganhávamos’, diz Tejera.