SHARE
Deportivo-Tachira-Independiente-Santa-Fe-Pré-Libertadores-Futebol-Latino-01-02
Foto: Arte Futebol Latino

A noite foi terrível para os defensores e iluminada para quem se propunha a atacar no jogo entre Deportivo Táchira e Independiente Santa Fe. Melhor para os colombianos que, mais efetivos, ganharam por 3 a 2 e conseguiram um belo resultado pensando no jogo de volta em Bogotá.

Leia mais: Artilheiro no Sydney FC, Bobô vibra com grande fase na Austrália
Inspirado em Magrão, goleiro da base sonha em construir sua história no Sport

O jogo começou com muitos erros de passe e o Santa Fe, apesar de visitante, tinha mais a bola e conseguia aos poucos mostrar superioridade. E, aos sete minutos, converteu sua melhora no embate em bola na rede.

Após receber lançamento dentro da grande área, Juan Roa levantou a cabeça e só rolou para Wilson Morelo bater bem de esquerda, no contrapé de Beycker Velasquez. Entretanto, a superioridade dos colombianos no marcador, durou somente três minutos.

Com 10 minutos, Luis Melo acertou uma excelente enfiada de bola para Manuel Granados que, ao se ver frente a frente por Róbinson Zapata, fuzilou o arqueiro adversário. Para a festa dos torcedores presentes no Pueblo Nuevo.

O Táchira melhorou depois da igualdade e passou a equilibrar as ações pelo menos na posse de bola, deixando os colombianos menos “a vontade” na partida e se aproximando da postura de um legítimo mandante.

O resultado? A virada do Aurinegro venezuelano aos 21 minutos graças também ao erro de marcação de William Tesillo. Em cruzamento vindo do lado esquerdo, o defensor errou no tempo de bola e deu espaço para Edgar Pérez Greco ajeitar de cabeça e Sergio Almirón completar para as redes.

Quando o jogo parecia que seria melhor administrado pelos donos da casa, o Independiente Santa Fe reagiu bem a virada e voltou a ser mais incisivo. Depois de criar pelo menos dois lances de grande perigo, o tento de empate veio com 30 minutos.

Em rebote da zaga do Táchira, a bola foi devolvida a área e pegou os defensores fora de posição. Com isso, após a bola rasteira cruzada por Rubén Betancourt, Tesillo deu uma de atacante e empurrou para o fundo do gol de Velásquez.

Indo para os vestiários de ânimo renovado, o Cardinal de Bogotá teve a chance logo aos três minutos do tempo complementar de novamente pular a frente do marcador.

Em dividida imprudente dentro da área, Jonathan España acertou com a sola da chuteira o pescoço de Betancourt, pênalti assinalado pelo uruguaio Daniel Fedorczuk. Na cobrança, Morelo bateu e Velásquez defendeu, mas o rebote voltou limpo para o 19 do Santa Fe não perdoar e fazer seu segundo gol na partida, 3 a 2 para os colombianos.

A partida seguiu bastante agitada para ambos os ataques, contando sempre com espaços que criavam problemas as defensivas dos dois lados. Porém, nesse momento o Santa Fe se destacava por ter mais lucidez principalmente para concluir as jogadas.

Entretanto, o placar não foi mexido de novo e o apito final decretou o importante triunfo do Santa Fe.