COMPARTILHAR
Jorge-Wilstermann-Deportivo-Cuenca-Copa-Sul-Americana-Futebol-Latino-1-31-07
Foto: Divulgação/Conmebol

Na cidade de Cochabamba, mais precisamente no estádio Félix Capriles, as cobranças de pênalti revelaram um Brian Heras inspirado e sendo vital para o Deportivo Cuenca seguir adiante na Copa Sul-Americana diante do Jorge Wilstermann.

Leia mais: Fiorentina trabalha nos bastidores para contratar Pity Martínez
Yerry Mina retira identificação de atleta do Barcelona no Instagram

O jogo

Logo com dois minutos de jogo, a situação do Cuenca se tornou favorável quando Edison Preciado abriu a conta em cobrança de pênalti e fez com que o empate sofrido dentro de seus domínios, pelo menos inicialmente, não tivesse tamanho peso.

Porém, aos 17 minutos, um cruzamento vindo do lado esquerdo da linha de fundo encontrou a infiltração do artilheiro Gilbert Álvarez que, de cabeça, testou firme para ver a bola bater no travessão e ultrapassar a linha para deixar tudo igual em Cochabamba.

Depois disso, a partida entrou em um ritmo de pouca inspiração técnica apesar do aspecto físico não ter sido afetado. Esforços para mudar de novo o marcador não faltaram, principalmente do ataque boliviano.

A melhor oportunidade de alteração no placar veio já aos 45 quando, em belo passe de Serginho, Álvarez ficou frente a frente com o goleiro Brian Heras e acabou mandando a bola do lado esquerdo da meta.

Segundo tempo

O jogo voltou animado, com os dois times buscando o jogo e, com nove minutos, o Jorge Wilstermann aproveitou um contra-ataque e o lateral-esquerdo Carlos Cuero derrubou dentro da grande área o meia Gabriel Rios, pênalti.

Se na cobrança de Gilbert Álvarez o goleiro Heras fez uma grande defesa, no rebote Fernando Saucedo pegou de primeira e viu a bola bater no travessão antes de entrar.

Precisando do empate para voltar a ficar vivo na eliminatória, o Deportivo Cuenca se lançou ao ataque com mais afinco e exigiu aos 19 que Arnaldo Giménez fizesse uma linda defesa em chute forte de Juan Rojas. Enquanto isso, a postura do Aviador era clara e assumidamente se manter mais retraído e esperar a exposição necessária da defesa equatoriana para tentar “matar o jogo”.

Porém, a estratégia que funcionou foi a dos visitantes. Com 34 minutos, Jacson Pita apareceu com liberdade quase na pequena área e bateu na saída de Giménez, novamente empatando o jogo no Félix Capriles. Com a parte anímica mais forte, o Cuenca ainda tentou resolver sua situação no tempo normal. Porém, a disputa para saber quem seguiria as oitavas de final da Sul-Americana seguiu para as penalidades.

Na marca da cal, brilhou a estrela de Brian Heras. Com três penalidades defendidas, o goleiro do Deportivo Cuenca foi determinante para a classificação por 6 a 5.