COMPARTILHE
Foto: Divulgação APOEL

Fama, carisma, reconhecimento da mídia, jogar na seleção, ser estrela na Europa. O sonho do argentino Facundo Bertoglio é compartilhado pela maioria dos jovens sul-americanos que pensam no futebol como profissão. Nascido na pequena cidade de San José de la Esquina, cidade com menos de 10 mil habitantes, Bertoglio iniciou a trajetória no futebol em 2007. Foi na peneira do Colón de Santa Fé, equipe de sua província, que conseguiu chegar às categorias de base.

Leia Mais: Torcedores da Argentina sofrem com derrota diante do Brasil e viraliza no Youtube
“Orgulho” de Sandro Rosell colaborou em atos judiciais contra Neymar e Barcelona

Pelo Colón, as boas atuações o levaram dos juniores até a titularidade da equipe em 2009, então com 19 anos. O meia era percebido por sua técnica e capacidade de armar jogadas, o que lhe trouxe em 2010 a maior oportunidade da carreira: jogar no Dínamo de Kiev da Ucrânia, ao lado da estrela do time, Andriy Shevchenko. A equipe de Santa Fé embolsou 4 milhões de Euros na transferência, o maior valor de sua história.

As lesões que já deixavam Facundo fora de combate desde o Santa Fé acentuaram-se ainda mais no futebol ucraniano, de muita força física. Sucessivos afastamentos tiraram sua chance de brilhar ao lado de Sheva, e quem sabe galgar outros patamares no futebol europeu.

Preterido no time da capital ucraniana, Bertoglio foi cedido ao Grêmio por empréstimo, na expectativa de substituir o armador Douglas, que tinha trocado o tricolor pelo Corinthians. Mais uma vez sem firmar-se, o jovem meio campista ainda rodou emprestado para o francês Evian e para o argentino Tigres.

Somente em 2015, quando cedido ao Asteras Tripoli da Grécia, Facundo voltou a ter protagonismo e dar alegria à torcida. Na equipe grega, foram 25 jogos, quatro gols e sete assistências na temporada 2015-2016. Apesar de duas lesões que o tiraram por 45 dias de combate, o meia conseguiu retomar o bom futebol.

Após o encerramento de seu vínculo com o Dínamo, Bertoglio assinou com o APOEL do Chipre. A mais tradicional equipe do país lidera o Grupo B da Liga Europa com 9 pontos. Na liga local, o APOEL é segundo colocado com oito vitórias e dois empates. Bertoglio participou de 9 destas partidas, marcou um gol e deu duas assistências. Pela Liga Europa, o hermano não marcou após quatro partidas disputadas. Titular e camisa 10 da equipe de Nicósia, Facundo Bertoglio ainda quer ser mais feliz no futebol.