emiliano-sala-estava-em-aviao-desaparecido-no-canal-da-mancha-Futebol-Latino-22-01
Foto: Divulgação/Cardiff City

Vítima fatal de um trágico acidente aéreo no Canal da Mancha em janeiro desse ano indo se apresentar ao Cardiff City (País de Gales), o argentino Emiliano Sala pode não ter falecido necessariamente em decorrência da queda da aeronave.

Leia mais: Federação Peruana não vai liberar Guerrero para jogo na Copa do Brasil
Último argentino vivo na Sula, Colón joga em Santa Fe contra o Zulia

Isso porque a Divisão de Investigação de Acidentes Aéreos (AAIB) do Reino Unido emitiu um comunicado oficial nessa quarta-feira (14) informando sobre as conclusões de exame toxicológico que foi realizado no corpo do atleta que havia se transferido do Nantes (França) para o clube que disputava em 2018/2019 a Premier League.

As conclusões obtidas foram de que Sala inalou uma forte concentração de monóxido de carbono, gás inodoro e incolor que pode causar intoxicação além de problemas como desmaio ou mesmo elemento propulsor de infarto. Com isso, a possibilidade de que o argentino possa ter morrido antes mesmo de tocar o solo não foi descartada.

Para fortalecer a tese, os investigadores ressaltam que seria importante haver a possibilidade de fazer os mesmos exames com a outra vítima fatal do acidente, o piloto David Ibbotson. Entretanto, até hoje, o corpo do mesmo não foi encontrado sendo que o corpo de Emiliano Sala só foi encontrado graças a um serviço de busca particular 17 dias após a queda do avião.