COMPARTILHAR
filho-de-ex-flamengo-vive-excelente-momento-em-portugal-Futebol-Latino-09-05
Foto: Divulgação/RV Sports

Seguindo a risca a lógica da famosa frase “filho de peixe, peixinho é”, o atacante Rodrigo Pinho está em grande forma no futebol português vestindo a camisa do Marítimo. Até o momento, foram 11 gols em 37 jogos e honrando o faro de artilheiro da família.

Leia mais: Santos e Tijuana são favoritos nos jogos de ida do Torneo Clausura da Liga MX
Eleito melhor jogador da temporada na Holanda é lateral colombiano

Isso porque Rodrigo é filho de Nando Pinho, atacante formado no Bangu e que jogou no final dos anos 1980 com a camisa do Flamengo. Situação essa que o atleta com 26 anos de idade mencionou como positiva nas experiências passadas a ele mesmo com Nando tendo convivido em meio a “constelação” da Gávea naqueles tempos apenas seis meses.

Apesar da ligação familiar brasileira, Rodrigo Pinho não é nascido no país. Isso porque, enquanto seu pai atuava no Hamburgo, da Alemanha, ele acabou nascendo no país germânico, mais precisamente na cidade de Henstedt-Ulzburg. Algo que pode o proporcionar a chance de jogar por até três seleções diferentes: Alemanha, Brasil e, caso se naturalize, Portugal.

Além das questões sobre sua carreira, calcada em clubes de menor expressão do Rio de Janeiro e em Portugal, Rodrigo Pinho também abordou outros temas em entrevista que deu com caráter exclusivo ao Futebol Latino e que você confere agora:

FL- Como você avalia a realidade do futebol carioca tendo tantos anos de experiências atuando principalmente por clube menores do estádio?

FL- Seu pai jogou no Flamengo no final da década de 1990. O que ele conseguiu te passar de experiência dessa época?

FL- A diferença de futebol do Brasil para Portugal é realmente muito grande? O que você considera que aprendeu na Europa que jamais conseguiria atuando aqui?

FL- Você acha que, com a Libertadores durando até o final do ano, foi uma boa iniciativa para as equipes da América do Sul segurarem mais tempo os bons valores diante do assédio europeu e de outros mercados?

FL- Como você sente a expectativa dos portugueses em relação a Copa do Mundo?

FL- Caso tenha a oportunidade, já pensou em se naturalizar e jogar por Portugal?