Foto: Divulgação/Atlanta United

Se Pity Martínez terminou 2018 em alta com título da Libertadores da América e eleito o melhor jogador do continente, o seu início de trajetória na Major League Soccer é extremamente preocupante.

Leia Mais: Finalista da Copa América estaria na alça de mira do futebol mexicano
Ex-atacante do Uruguai ataca a Conmebol em post na rede social

Dos 14 jogos que disputou como titular, em 10 ele foi substituído pelo técnico Frank De Boer, que na última coletiva de imprensa, após o jogo contra o New York Red Bull, demonstrou que o prestígio do argentino está abaixo do esperado com a comissão técnica.

“O nosso planejamento era ganhar alguns duelos individuais e isso não estava acontecendo com ele (Pity Martínez). Quando mexi na equipe as coisas melhoraram dentro de campo. Não quero dez, nove ou oito jogadores trabalhando duro. Eu quero todos os jogadores se doando dentro de campo, principalmente nestas partidas”, afirmou.

“Em 65 minutos de jogo, ele errou muita coisa e se tornou perigoso para os companheiros. Quando você tem um jogador em uma tarde ruim, o melhor a se fazer é tira-lo o quanto antes para evitar um dano maior na parte coletiva”, completou.

Atual campeão da Major League Soccer, o Atlanta United, de Pity Martínez e De Boer está na terceira colocação da Conferência Leste, com 30 pontos, seis a menos que o Philadelphia Union.