SHARE

*Alex Dias de Souza

A partida entre Sansinena e Sarmiento de Ayacucho, pela Federal B (equivalente à Quarta Divisão Argentina), foi suspensa no último domingo após o juiz Claudio Elichiri ser agredido coletivamente. A agressão ocorreu depois que o Sarmiento, time mandante se revoltou com a não marcação de um pênalti, seguido do segundo gol do Sansinena que estava vencendo o jogo por 2 a 1.

Leia mais: Jogador é suspenso por 22 jogos após agredir árbitra na Argentina
Conmebol cogita usar árbitros de vídeos em suas competições

Aos 21 minutos do segundo tempo, começou a confusão. O jogo foi interrompido e os jogadores partiram para cima do árbitro que então, expulsou cinco jogadores do Sarmiento. Dez minutos depois, com todos reunidos no centro do campo, a torcida invadiu o gramado e também o agrediu. No fim das contas, o Sarmiento foi declarado vencedor e se classificou para a final.

O caso, porém, parece que não ficará impune, de acordo com o jornal La Oral Desportiva, o SADRA (Sindicato De Arbitros Deportivos de la República Argentina), liderado por Guillermo Marconi,  anunciou através de um comunicado a imprensa, que os ábitros não terão nenhum tipo de atividade no próximo final de semana.

“Tomamos a decisão de declarar uma greve nacional para o fim de semana para todos os torneios, nenhum árbitro estará disponível”, disse ele.

Já Diego Abal, que pertence à AAA (Associação Argentina de Árbitros), foi nomeado para apitar no Monumental de Nuñez o derby de domingo entre River Plate e Boca Juniors, se esquivou das perguntas e não confirmou  se de fato haverá a paralisação.

“Se vamos parar, vamos parar. As próximas horas serão cruciais para o saber o futuro da próxima rodada do final de semana”, afirmou.

O secretário do Trabalho da Argentina, Ezequiel Sabor também comentou o caso e afirmou que Ministério do Trabalho fará uma audiência de conciliação para evitar a greve convocada pelo SADRA.

“Infelizmente o árbitro foi atacado, e este fato deve ser condenado para proteger ele e qualquer outro tipo de trabalhador porque a violência não é uma maneira de resolver qualquer coisa. O SADRA fez a denúncia ao Ministério do Trabalho e decidiu suspender os jogos de futebol, mas nós temos uma audiência de conciliação”, disse o secretário.