Cerro-Porteño-Zamora-Copa-Libertadores-Futebol-Latino-1-13-03
Foto: Divulgação/Conmebol

Foi na base da experiência e no faro de gol que o centroavante Haedo Valdez conduziu o Cerro Porteño a mais uma vitória na Libertadores 2019. Diante do Zamora em Assunção, o Ciclón del Barrio Obrero fez 2 a 1 nos venezuelanos e segue 100% na competição no Grupo E.

Enquanto isso, o Zamora segue sem pontuar na competição assim como o Atlético-MG dentro da chave, ficando a frente do time brasileiro por ter feito ao menos um gol no torneio.

Leia mais: Importantes ex-árbitros da Colômbia são acusados de cometerem assédio
Leandro Damião é artilheiro de sua equipe no Japão; Confira

Primeiro tempo

Apesar do Cerro ser quem tinha mais a bola, os venezuelanos de maneira nenhuma abdicavam de jogar, mediante sua marcação mais retraída, e tentar fazer o arqueiro Rodrigo Muñóz também trabalhar.

Tanto é que, nos primeiros minutos, quem chegou de maneira mais aguda foi o Zamora quando Erickson Gallardo recebeu lançamento muito preciso diretamente em reposição do goleiro Joel Graterol e bateu forte para a intervenção do arqueiro paraguaio.

Contudo, logo aos 19 minutos falou mais alto o oportunismo aliado a categoria esbanjadas pelo experiente atacante Haedo Valdez. Em bola cruzada na pequena área adversária, o avante foi mais rápido que a marcação e tocou de letra, sem qualquer chance de intervenção para Graterol.

O duelo se manteve com o mesmo contexto onde o Ciclón detinha o domínio territorial, mas com o Zamora sem se render e dar-se totalmente por vencido no confronto. Contudo, faltava ao clube de Barinas sair da defesa com a mesma velocidade de outrora, não mais conseguindo clarear o suficiente para finalizar de maneira aguda ao gol paraguaio.

Com isso, a chance mais perigosa antes do fim da primeira etapa veio quando Óscar Ruíz recebeu com considerável liberdade a bola pelo lado direito e bateu de chapa para uma defesa providencial de Graterol.

Segundo tempo

Logo na volta do intervalo, a primeira tentativa de atacar efetivamente elaborada pelo Cerro se transformou em gol.

Em bola levantada na área e cortada pelo goleiro do Zamora, Larrivey se esforçou para ajeitar enquanto Haedo Valdez fez muito bem sua parte ao acertar um verdadeiro “petardo” de fora da área, 2 a 0 para o Ciclón del Barrio Obrero.

Quando tudo parecia que ia convergir para uma tranquila vitória da equipe paraguaia, em falha de marcação muito bem aproveitada pelos visitantes o camisa 9, Guillermo Paiva, surgiu no meio da grande área sozinho para finalizar e diminuir a distância no placar.

Com direito, aliás, a provocar o torcedor da casa fazendo o sinal de 3 com as mãos supostamente remetendo as três conquistas de Libertadores do Olimpia, o arquirrival cerrista onde o próprio Paiva já atuou.

Mesmo que seguindo com a ideia de cuidar mais da retaguarda do que propriamente “se atirar” ao ataque, parece que o gol deu mais confiança aos venezuelanos principalmente na saída mais rápida para fazer a transição defesa-ataque.

Apesar da reação, os comandados de Fernando Jubero conseguiram manter o placar que garantiu a segunda vitória no segundo compromisso da Liberta.