O técnico Hernán Gómez estava um tanto quanto “inspirado” em relação as palavras que escolheu para definir sua visão acerca do desempenho físico de Catar e Equador no amistoso da última sexta-feira (12) onde os árabes venceram por 4 a 3.

Leia mais: Neymar lamenta ausência de craque argentino no clássico: “É uma pena para o futebol”
Após derrota para o Peru, Gary Medel cobra mais atitude da seleção chilena

Segundo a forma que ele enxergou a partida, os catarianos levaram uma grande vantagem no condicionamento e também por terem a estrutura tática com tempo bem maior de aplicação, já que “Bolillo” tem apenas três meses à frente da Tri em sua nova passagem.

“A dificuldade foi, acima de tudo, física, esse foi o problema primordial. Eles foram uma equipe mais rápida, pareciam que eles estavam em uma Mercedes e nós em um Renault 4. Não estivemos com uma boa preparação física. Além de não estarmos em boa condição física para encarar de igual para igual com o Catar, não tivemos muito tempo para dar coordenação tática a equipe.”

A próxima chance do selecionado equatoriano terá de apresentar melhoras vai ser em amistoso diante de Omã na terça-feira (16) às 12h30 em Doha, capital do Catar.