SHARE
Projeto-Goal-Guaiaquil-FIFA-Futebol-Latino-15-01
Foto: Divulgação/FEF

As negociações para se definir quem terá os direitos de transmissão do campeonato equatoriano seguem um clima de absoluta indefinição. Isso porque a emissora uruguaia GolTV, a Corporação Nacional de Telecomunicações (CNT) e até mesmo a DirecTV estão envolvidas em complicadas tratativas.

Leia mais: Com paralisação e defesa de pênalti, CSA empata e avança na Copa do Brasil
Jequié e Fluminense de Feira fecham quarta-feira do Baiano com vitória

Segundo informações do jornal local El Comercio, a atual incerteza sobre os termos para firmar o acordo na relação GolTV – Federação Equatoriana de Futebol (FEF) motivou a CNT a se negar, pelo menos por enquanto, a oficializar sua parceria com a companhia de TV.

A alegação de outras empresas como a unificação de proposta entre DirecTV, TVCable, Univisa e Servisky é de que não existe o interesse da FEF em propôr uma concorrência justa pela obtenção dos direitos, fator exigido inclusive por recente decisão judicial. Um dos argumentos mais repetidos seria calcado nos valores oferecidos em comparação da união das companhias em relação a GolTV.

Enquanto as quatro empresas apresentaram proposta de 432 milhões de dólares (mais de R$ 1 bilhão) entre compra dos direitos e bônus como cotas de patrocínio aos clubes, os uruguaios apresentaram acordo de US$ 270 milhões (R$ 877 milhões) com validade de 10 anos.

A argumentação da federação equatoriana para não aceitar sequer a análise da proposta dessa união de companhias de TV foi de que ela não foi feita dentro do prazo determinado.