COMPARTILHAR
Foto: Divulgação Independiente

O Independiente chegou a sua 18ª conquista internacional, igualando o conterrâneo Boca Juniors, ao conseguir vencer pelo placar de 1 a 0 o Cerezo Osaka em jogo válido pela Copa Suruga. A partida aconteceu em território japonês, mais precisamente no Osaka Nagai

Leia mais: Fora de casa, Atlético-PR goleia o Peñarol e avança na Copa Sul-Americana
Rival do Timão na Libertadores, Valdivia posta foto com a camisa do Palmeiras

O jogo

Desde o início da partida, o Independiente assumiu claramente as rédeas da partida e trabalhava bem nos lances ofensivos sem ter muita dificuldade para envolver a defesa do time japonês que, conseguindo trocar poucos passes, mal chegava a meta de Martín Campaña.

Por sua vez, os argentinos avançavam com consistência e conseguiram, em algumas oportunidades, fazer o goleiro Kentia Tanno se assustar. Principalmente depois de cobrança de falta feita pelo volante Pablo Hernández, aos 15, e com o meia-atacante Silvio Romero finalizando cara a cara exigindo uma boa defesa de Tanno aos 23.

Com 27 minutos, o gol do Rojo que parecia uma questão de tempo acabou acontecendo com uma dose de sorte. Depois do passe em profundidade no ataque do time de Avellaneda desviar em dois zagueiros do Cerezo Osaka, Romero teve frieza para driblar o arqueiro japonês e tocar para o fundo das redes.

A equipe que jogava em seus domínios chegou a se abrir um pouco mais e tentar atacar, conseguindo no máximo uma troca de passes aos 30 minutos onde o ponta Toshiyuki Takagi arriscou de pé-esquerdo e viu a bola passar ao lado da trave de Campaña.

Segundo tempo

O clube do Japão tentou mostrar um poder de reação mais imediato com as entradas dos meias Atomu Tanaka e Toshiki Onozawa os lugares de Takaki Fukumitsu e também de Takagi, autor do único chute mais perigoso da equipe anfitriã.

Porém, as primeiras grandes chances de gol na segunda etapa não vieram em lances mais trabalhados, mas sim em cobranças de escanteio a favor dos asiáticos. Aos 13 minutos, na primeira delas o desvio na primeira trave de Kota Fujimoto obrigou Martín Campaña a fazer uma linda intervenção. Logo na sequência, o escanteio cobrado pelo meia brasileiro Souza foi cortado providencialmente por Emmanuel Gigliotti.

As mudanças feitas pelo técnico sul-coreano Jong Yoon aliada a questão física de pouco ritmo de jogo para o Independiente começaram a ser cada vez mais notórias com o Cerezo Osaka conseguindo manter a posse de bola e ser mais dominante na partida.

Mesmo com essa melhora, faltava efetivamente traduzir esse domínio na posse de bola em oportunidades mais claras de gol em troca de bola pelo chão. Com a retração do time argentino, as dificuldades de criação e finalização por parte dos asiáticos ficaram mais latentes.

Com isso, bastou com que os sul-americanos seguissem na sua postura defensiva e “gastassem” o tempo até o apito final do árbitro neozelandês Matthew Conger para adicionar mais uma conquista a sua vasta galeria.