SHARE
Nacional-Paraguai-Independiente-Copa-Sul-Americana-Futebol-Latino-25-10
Foto: Arte Futebol Latino

Fazendo muito barulho até mesmo antes da bola rolar, o importante número de torcedores do Independiente no Defensores del Chaco viu a equipe argentina atuar bem a vontade e passar com autoridade pelo Nacional com o placar de 4 a 1.

Leia mais: Meia da Universidad Católica pode sequer retornar ao clube após licença
De olho na semi, Sport e Junior Barranquilla se enfrentam na Ilha do Retiro

Não era apenas a grande presença do torcedor argentino em Assunção que dava a impressão de que o Rojo atuava em casa, sendo os primeiros minutos do embate amplamente dominados pela equipe de Avellaneda.

Sem qualquer receio de marcar “alto”, no campo de defesa do Nacional, os visitantes conseguiram estar quase sempre com posse de bola pressionando seu adversário próximo de sua grande área.

Entretanto, apesar desse volume de jogo, faltavam finalizações mais agudas, passando mais perto do gol apenas uma cabeçada onde o desvio na primeira trave não encontrou nenhum toque complementar com a bola passando na pequena área do Nacional.

Quem resolveu essa situação foi Maximiliano Meza, aos 27 minutos. Depois de Juan Manuel Salgueiro perder a bola no ataque, o contra-golpe do Independiente encontrou Ezequiel Barco saindo em velocidade que, na sequência, colocou Meza em plenas condições para bater de chapa e iniciar a contagem no Defensores del Chaco.

Somente depois de ficar atrás do placar o clube anfitrião resolveu reagir na partida. Porém, a resposta veio de maneira bem rápida já que, aos 33, o Trico já conseguiu o seu gol de empate. Após cobrança de escanteio, a bola foi escorada para o meio da área e o artilheiro Luis Caballero testou longe do alcance de Martín Campaña, tudo igual no Paraguai.

Com o embate mais equilibrado, antes do término da primeira etapa Juan Arguello para o Nacional e Barco para os visitantes tiveram boas oportunidades de desempatar o certame, mas não conseguiram acertar o alvo nas finalizações.

O começo do segundo tempo teve, em quatro minutos, duas chances excelente formuladas pelo ataque do Rojo. E, se Lucas Albertengo parou em bela defesa de Rojas, o próprio Albertengo tratou de se redimir cruzando na medida para Leandro Fernández cabecear forte, no extremo canto esquerdo da meta do adversário. 2 a 1 Independiente.

Ao contrário de quando saiu na frente, dessa vez os argentinos não relaxaram ou mesmo deram chance para que o Nacional crescesse novamente no embate. A equipe seguiu marcando com organização e ainda transformou seu domínio novamente em gol com 25 minutos.

Depois de grande jogada pelo lado esquerdo de Ezequiel Barco, Jonathan Santana derrubou o oponente na área e o árbitro Leodan González não teve dúvidas e marcou o pênalti. Na cobrança, Fernández acabou tendo o chute defendido por Santiago Rojas, mas, no rebote, o 11 do time de Avellaneda conseguiu colocar a bola na rede. E ainda teve mais.

Aos 31, a zaga do El Albo vacilou feio e deixou praticamente todo o ataque do Independiente frente a frente com Rojas. Como consequência, Albertengo recebeu passe sem goleiro e só tocou para colocar 4 a 1 no placar.

Depois disso, a continuidade da partida pareceu uma mera formalidade até que o apito derradeiro confirmasse uma grande vantagem do Rojo para a partida de volta das quartas de final da Copa Sul-Americana.