SHARE
Foto: Divulgação

Atletas que atualmente possuem alguma cidadania válida na Europa acabam tendo relativa vantagem na análise de contratação por clubes desse continente. Algo que, agora, o atacante Cristian Pavón, do Boca Juniors, pode se considerar como “parte do grupo”.

Leia mais: Outro volante do Grêmio estaria sendo monitorado pelo Barcelona
Kanu acerta renovação com Vitória e espera ano positivo do Leão

Na última semana, o atleta revelado nas categorias de base do clube Xeneize conseguiu finalizar a questão burocrática para adqurir cidadania italiana, algo que o possibilitará não ser incluso como ocupante de uma vaga de estrangeiro no plantel de qualquer time europeu.

A situação se concretizou de maneira bem conveniente, já que há algum tempo rumores que dão conta do interesse da Internazionale no jovem de 21 anos de idade rondam o atacante.

Ao que tudo indica, os grandes entraves para o prosseguimento das tratativas são o apreço que Guillermo Barros Schelotto tem pelo jogador, considerado importante para o esquema tático, e a questão financeira.

Enquanto o Boca inicialmente não abre mão de receber a cláusula rescisória de 30 milhões de euros (quase R$ 117 milhões), a Inter pretende negociar esses números por uma quantia bem abaixo.