SHARE
jogador-uruguaio-conta-sobre-convivio-com-astros-do-futebol-mundial-Futebol-Latino-10-01
Foto: photoreti

Poucos são aqueles que tem o privilégio de dizer que viveram de perto uma realidade glamourosa e badalada no mundo do futebol como o uruguaio Matías Cardacio.

Leia mais: Veterano meio-campista seguirá atuando com a camisa do Cerro
Depois de quatro anos, Pabón pode voltar ao Brasil

Meio-campista de 30 anos de idade, ele jogou a última temporada no Defensor e está em vias de renovar seu vínculo com a equipe de Parque Rodó. Porém, foi na Itália logo no início de sua trajetória no esporte estando no poderoso Milan que Cardacio viveu e aprendeu com muitas estrelas do passado.

Em entrevista que deu a imprensa uruguaia, ele foi questionado sobre características marcantes de várias personalidades conhecidas como Kaká, Andrea Pirlo, David Beckham, Clarence Seedorf, entre outros, no seu período de estadia no clube italiano entre .

Um dos mais exaltados em todos os aspectos por Cardacio foi Ronaldinho Gaúcho, com quem esteve no clube de Milão tendo grande proximidade:

“Fui muito amigo do Ronaldinho, passamos muito tempo juntos, nos convidava para fazer churrascos. Se portou de maneira maravilhosa e fico com coisas que guardarei sempre no coração. Hoje em dia está mais associado ao mundo das redes, mas naquela época não mexia muito em tecnologia e quem mexia era seu irmão ou cunhado.”

Foram vários os elogios e considerações, passando pelo “capitão ideal” Paolo Maldini, os “extremamente competitivos” Gennaro Gattuso e Filippo Inzaghi, o “mobilizador” David Beckham, os “tímidos” Kaká e Dida…

A única consideração mais modesta e até certo ponto negativa foi feita a Andriy Shevchenko, ex-jogador ucraniano e hoje técnico da seleção europeia:

“É o único ponto obscuro. Um tipo muito fechado. Se eu errava ele levantava a mão, me fazia gestos e me deixava exposto. Um dia em uma partida contra o Rangers na Escócia eu disse que nunca mais levantasse a mão para mim nem falasse mais e nunca mais falou comigo. Outra cultura.”

Apesar de não ter dividido vestiário em clubes, Cardacio não deixou de lembrar a grande amizade que criou desde a infância com Luis Suárez e também o convívio positivo com outro matador uruguaio, Edinson Cavani, na seleção Sub-20.