Existem partidas que certamente ficam registradas na memória do torcedor pelos mais diversos motivos. Certamente quem teve a chance de assistir o embate entre Bolívar e Royal Pari no último domingo (7) pelo Clausura da Bolívia ficou exatamente com esse sentimento.

Leia mais: Após novo tropeço, técnico do Colo-Colo pode ser demitido nesta segunda-feira
Em clássico de quatro gols, Racing e Boca Juniors ficam no empate

Isso porque o jogo que ocorreu no estádio Hernando Siles, em La Paz, teve nada mais nada menos do que 12 gols assinalados, um placar extremamente raro de 7 a 5 para o time da casa que ainda teve de lidar com o fato de ter um jogador a menos desde os 12 minutos da etapa complementar.

Com menos de trinta minutos de partida, o placar já mostrava 3 a 1 para o Bolívar, gols de Juanmi Callejón, William Ferreira (duas vezes) com Saulo Guerra diminuindo a diferença. Ainda houve tempo para Callejón e Ferreira novamente além de Saulo Guerra marcarem um tento cada antes do intervalo e conduzir o marcador para 5 a 2.

Com o 5 a 3 feito por José Luiz Chávez e a expulsão de Luis Gutiérrez pelo lado Celeste, parecia que o embate se encaminharia para uma possível pressão dos visitantes em busca da virada. No entanto, Juanmi Callejón fez seu terceiro no jogo, Marcos Riquelme balançou as redes além de John Mosquera e Guimer Justiniano pelo lado do Royal Pari, construindo o “maluco” placar de 7 a 5.

Nesse momento, enquanto o time de Santa Cruz de La Sierra é terceiro colocado com 26 pontos, o Bolívar é o quinto com 25.