juan-arango-deseja-intervencao-estrangeira-na-venezuela-Futebol-Latino-13-04
Foto: Getty Images

Atualmente, o ex-jogador venezuelano Juan Arango vive na cidade de Miami, mas nem por isso sua opinião deixa de ser ouvida quando o assunto é sua opinião sobre o verdadeira caos social que passa há alguns anos o seu país de origem.

Leia mais: Por onde anda Bruno Uvini, ex-Santos e São Paulo
Lucas Moura se aproxima de segunda melhor marca no futebol europeu

E, na sua visão, só existe uma alternativa para que esses problemas tenham real chance de serem solucionados: Uma intervenção estrangeira capaz de tirar do poder o atual ocupante do mesmo, Nicolás Maduro.

As palavras duras do ex-atleta hoje com 38 anos de idade foram ditas na última semana a jornalista Alexandra Cuevas Alliegro.

“A única solução que eu vejo é que haja intervenção de uma vez porque esta gente, o regime (de Maduro) não vai sair por bem, nem com diálogo nem com nada. A intervenção tem que ser o mais rápido possível. Os coletivos estão assassinando as pessoas. Esperemos que os demais países tomem partido da situação, mas urgente”, sentenciou o ex-atleta de equipes como Caracas, Mallorca (Espanha), Borussia Monchengladbach (Alemanha) e New York Cosmos além da seleção Vinotinto.

Essa não é a primeira vez que manifestações sobre o tema político adentram o mundo futebolístico da Venezuela.

Isso porque, além da equipe sub-20 ter entoado cantos contra Maduro na última edição do Sul-Americano da categoria, o técnico da seleção principal, Rafael Dudamel, colocou seu cargo a disposição em ato que seria motivado por discordar da presença de Juan Guaidó, autoproclamado figura máxima do governo venezuelano, em meio a jogadores da seleção.