SHARE
Sport-Junior-Barranquilla-Copa-Sul-Americana-Futebol-Latino-26-10
Foto: Arte Futebol Latino

Atuar como visitante pela Copa Sul-Americana, mais uma vez, não foi problema nenhum para o Junior Barranquilla. Na Ilha do Retiro duelando contra o Sport, os colombianos não só atuaram com propriedade como venceram pelo placar de 2 a 0.

Leia mais: Volante garante Vitória confiante para escapar do rebaixamento
Investigação de combinação de resultados na Venezuela tem avanço

Apesar do início do jogo não ter sido em alta velocidade, os primeiros minutos já foram suficientes para que o Junior criasse duas ótimas oportunidades de gol. Porém, enquanto na primeira o rebote passou perto do canto direito de Magrão, na segunda chance Roberto Ovelar se atrapalhou com a bola e o zagueiro Ronaldo Alves conseguiu cortar em cima da hora.

Além da marcação bem posicionada do time colombiano, o excesso de erros de passe dificultava bastante com que o Sport conseguisse tramar jogadas que realmente levassem perigo ao gol de Sebastián Viera.

Enquanto isso, a velocidade e qualidade do meio-campo do Junior fazia a diferença e se mostrava cada vez mais a vontade com a bola no pé, principalmente em jogadas feitas nas costas da defesa pernambucana. Em uma das mais perigosas, Teo Gutiérrez limpou bem a marcação e lançou na medida para Ovelar que, ao tentar chutar, foi travado em cima da hora por Samuel Xavier.

Antes de terminar o primeiro tempo, ainda houve tempo para Chara driblar Henríquez e finalizar com capricho de fora da área, mas a bola passou por sobre o gol.

No princípio do tempo complementar, a partida pouco mudou de figura, porém o Sport encontrou uma boa alternativa para a sua dificuldade de atuar na base da troca de passes: A bola alçada na área.

Em duas oportunidades em que os alas do Leão conseguiram ter mais liberdade para explorar essa saída, surgiram lances que foram suficientes para assustar Viera e fazer a torcida presente na Ilha de Retiro, até então mais calada, se empolgar.

Foi o suficiente para o Rubro-Negro pernambucano, a partir daí, conseguir com que os colombianos se desconcentrassem um pouco na marcação e, logo depois, Rogério conseguiu boa finta no defensor adversário e carimbou o travessão em chute forte dentro da grande área.

No entanto, acabou falando mais alto a eficiência do time visitante que, com 25 minutos, chegou ao seu primeiro gol. Após cruzamento vindo do lado esquerdo, Yony González antecipou a zaga do Sport e tocou para o fundo das redes de Magrão.

Com os comandados de Luxemburgo precisando naturalmente se expôr, os espaços dados pelos brasileiros e o nervosismo que se abateu sobre o Sport tornaram os donos da casa presa fácil para o sistema ofensivo do time de Barranquilla.

O placar só não foi ampliado em bela triangulação feita pelo ataque colombiano porque, recebendo praticamente sem goleiro na altura da marca do pênalti, Teo Gutiérrez chutou de pé-esquerdo e perdeu um gol inacreditável.

Aos 40 minutos, mais uma trama dos visitantes foi bem feita, dessa vez pelo lado direito. E, após o cruzamento rasteiro de Yimmi Chara, novamente González botou lá dentro, sem qualquer possibilidade de defesa para Magrão.

A partir daí, foi apenas uma questão de tempo para o término da partida e a constatação de um grande resultado na capital pernambucana.

FICHA TÉCNICA

SPORT 0 X 2 JUNIOR BARRANQUILLA

Local: Ilha do Retiro, Recife (PE)

Data-Hora: 26/10/2017 – 21h45

Árbitro: Fernando Rapallini (ARG)

Auxiliares: Gustavo Rossi (ARG) e Ezequiel Brailovski (ARG)

Cartões amarelos: Diego Souza, Juninho (SPO), Jonathan Ávila, Teo Gutiérrez, Germán Gutiérrez, Rafael Pérez, Yony González (JUN)

Cartões vermelhos: –

Gols: Yony González (25′ e 40’/2°T)

SPORT: Magrão; Mena, Osvaldo Henríquez, Ronaldo Alves e Samuel Xavier; Anselmo, Rodrigo (Reinaldo Lenis, no intervalo), Patrick, Diego Souza e Rogério (Juninho, aos 31’/2°T); André.

Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

JUNIOR BARRANQUILLA: Sebastián Viera; Germán Gutiérrez, Rafael Pérez, Jonathan Ávila e David Murillo; Leonardo Pico, Victor Cantillo, Yony González e Yimmi Chara (Jarlan Barrera, aos 42’/2°T; Teo Gutiérrez e Roberto Ovelar (Henry Mier, aos 24’/2°T).

Técnico: Julio Comesaña.

  • Marcelo Oberst-Geburt

    Xiii, tô vendo que se eliminar o Florzinha o Flamengo vai ser massacrado na semifinal