SHARE

No Alfredo Jaconi, o Juventude pressionou o Boa Esporte de todos os jeitos, mas não conseguiu furar a retranca mineira e saiu de campo com um empate sem gols. O resultado foi ruim para o time da casa, que não conseguiu voltar ao G4 e fica na quinta colocação. Enquanto o clube mineiro fica provisoriamente na nona posição.

Leia Mais: Luta pela parte de cima da tabela coloca frente a frente Ceará e Brasil de Pelotas
Em duelo de opostos, Náutico e Inter se enfrentam no Lacerdão

As duas equipes voltam a campo na próxima terça-feira. O time mineiro recebe o Goiás e o Juventude mede forças com o ABC, em Natal.

O jogo

O primeiro tempo não teve muitos lances de perigo. Dentro de casa, o Juventude não acelerava muito o jogo e deixava o pouco incomodava no ataque. Por outro lado, o Boa Esporte ficava na defesa e tentava segurar o duelo no meio de campo.

Na base do contra-ataque, o Boa Esporte quase abriu o marcador. Rodolfo ficou na cara de Matheus, mas na finalização mandou por cima do gol.

A resposta do Juventude veio na bola aérea. Tinga levantou, Micael subiu mais que todo mundo e tirou tinta da trave de Fabricio.

Segundo Tempo

Disposto a acabar com o marasmo dentro de campo, o Juventude acelerava o jogo e apostava nas jogadas laterais para tentar furar a retranca do time mineiro, porém sem muito sucesso.

Se pelo chão estava difícil, o jeito era apostar nos cruzamentos. Na primeira chance, Pará cobrou escanteio fechado e quase fez gol olímpico. Na segunda oportunidade, Laércio tentou cortar o cruzamento, a bola pegou nas costas do atacante do Juventude e o goleiro Fabricio segurou para evitar o gol gaúcho.

Tímido no campo de ataque, o Boa Esporte quase surpreendeu em levantamento na área. Casagrande ganhou de cabeça e obrigou Matheus a praticar excelente defesa.

Nos últimos minutos o time de Caxias do Sul quase fez o gol da vitória com Yago. O atacante recebeu em velocidade, invadiu a grande área, mas tocou com o bico da chuteira e o goleiro Fabricio defendeu.

SHARE