laterais-brasileiros-devem-ser-negociados-pelo-porto-na-proxima-janela-Futebol-Latino-20-11
Foto: Divulgação/FC Porto

A imprensa de Portugal noticiou nessa semana que os laterais brasileiros Jorge e João Pedro, que chegaram no meio do ano ao Porto, não devem continuar fazendo parte do plantel pensando já início de 2019.

Leia mais: Carlos Queiroz tem nome ligado a seleção da Colômbia
Técnico argentino compara atacante peruano a Messi

Desde junho no clube após ser transferido do Bahia, João Pedro fez apenas três jogos no time principal antes de ser realocado para o time B. Nesse período, o atleta revelado nas categorias de base do Palmeiras não conseguiu impressionar os europeus.

Já a situação de Jorge é de caráter ainda mais “imediato”, já que o atleta está desde setembro vindo por empréstimo do Monaco e, mesmo depois de menos de três meses após sua chegada, já teria convencido os portugueses a sequer ficar até o fim do contrato que tem duração até junho de 2019.

Felipe e Militão “cheios de moral”

Se por um lado os laterais brasileiros não possuem o prestígio desejado nos Dragões, o mesmo certamente não pode se dizer dos zagueiros Felipe e Éder Militão. Nessa semana, o ex-jogador Branco, tetracampeão do mundo com a Seleção Brasileira em 1994 e que passou pelo Porto no fim dos anos 90, foi só elogios a trajetória de ambos até aqui em palavras ditas ao jornal A Bola:

“São dois jogadores de enormíssima qualidade, um muito novo e outro ainda jovem. O Felipe está dando segmento em Portugal ao que mostrou no Corinthians, e o Militão provando o nível exibido no São Paulo. O Porto está acertando em cheio em quem contrata. O Pinto da Costa (presidente do clube) é assim, um autêntico fenômeno, alcança sempre jogadores de grande qualidade e com muita margem para crescerem.”