COMPARTILHAR

Apesar da pouca vivência em competições continentais e diante de um campeão de Libertadores, o Guabirá vendeu caro sua eliminação. Isso porque, na cidade de Montero, os anfitriões venceram por 3 a 2 a LDU pela Copa Sul-Americana, mas acabaram de fora da competição pelos gols qualificado dos equatorianos.

Leia mais: Temuco e Estudiantes de Mérida jogam a sobrevivência na Sul-Americana
Técnico vice-campeão da Libertadores entra na mira de clube espanhol

A partida que começou equilibrada e teve por volta dos 20 minutos uma crescente de desempenho por parte da LDU acabou vendo o placar ser aberto pelos mandantes através de José Castillo.

Em finalização onde o arqueiro Adrián Gabbarini deu rebote, o avante do Guabirá mostrou oportunismo e deu a primeira alegria a torcida presidente no estádio Gilberto Parada.

Os anfitriões terminaram tecnicamente melhor a primeira etapa e com a vaga nas mãos. Entretanto, aos 15 minutos do tempo complementar, as coisas voltaram a favorecer os equatorianos.

Juan Anangonó foi o responsável por deixar tudo igual na Bolívia e forçar o Guabirá a marcar pelo menos mais uma vez para conduzir a eliminatória para os pênaltis. Algo que ocorreu aos 25 minutos através de Diego Hoyos.

A pressão da torcida e também dos donos da casa se intensificou e a Liga parecia assustada, exposta a tomar o terceiro a qualquer momento. Então, Juan Carlos Montenegro fez os locais explodirem ao fazer o 3 a 1 para os Azucareros.

Porém, a LDU conseguiu utilizar isso a seu favor e, através do interminável artilheiro Hernán Barcos, marcou o segundo gol que era até então suficiente para a classificação do time de Quito.

Depois disso, falou mais alto a experiência da LDU que, administrando o resultado que lhe interessava, conseguiu a suada classificação ao apito final do árbitro uruguaio Leodán González.