Foto: Divulgação

Mediante a crise que atravessa o Oriente Petrolero, a advogada Marisol Negrete apresentou na tarde desta quarta-feira, a sua candidatura para a presidência do clube boliviano.

Leia Mais: Atacante do Emelec próximo de ir para o futebol mexicano
Bolívia usará CT de Cotia em preparação no Brasil para Copa América

Em entrevista coletiva, ela se colocou à disposição para atender os jornalistas e explicou como será o projeto que pretende levar o clube ao topo do futebol nacional.

Ciente que o caixa não permite contratações “ousadas”, a candidata prometeu conversar com empresários locais para adquirir jogadores de primeiro nível no mercado de transferências.

Sem rodeios, ela também descartou a chegada de Mauricio Soria, que dirigiu a seleção boliviana na reta final das Eliminatórias. Na opinião de Negrete, o próximo comandante tem a obrigatoriedade de ser boliviano e estar adaptado ao futebol local.

Com a candidatura apresentada, Marisol Negrete espera a aprovação do conselho para ver se vai ou não participar das eleições do Oriente Petrolero. Inicialmente, o pleito estava marcado para agosto, mas foi cancelada. A expectativa é que seja realizada em novembro.

Ligação com o rival

Marisol Negrete é conhecida no futebol boliviano devido a sua briga com o Blooming, adversário direto do Oriente Petrolero. Ela é dona do terreno que o clube tem a sua sede e briga na justiça para receber o dinheiro de uso da sua ‘propriedade’.