COMPARTILHAR
movimento-politico-informa-que-esta-saindo-da-gestao-do-inter-Futebol-Latino-02-04
Foto: Reprodução/Twitter

Além da preparação física e tática dos jogadores visando a continuidade da temporada nos próximos dias, outra palavra em voga no Inter é “mudança”. Principalmente quando o assunto é a gestão do Colorado e a participação do grupo político que se autodenominava Povo do Clube.

Leia mais: La U e Racing protagonizam o principal duelo da terça-feira na Libertadores
Libertad recebe o The Strongest de olho na liderança isolada do grupo 3

Em um extenso comunicado emitido nessa segunda-feira (2), a iniciativa que reúne torcedores em um dos mais ativamente participantes a respeito das decisões políticas do clube disse que optaram “por continuar ajudando o Sport Club Internacional não mais dentro da gestão, mas com forte atuação no Conselho Deliberativo e nas arquibancadas do Beira-Rio.”

Como a própria nota oficial informa, o ganho de importância dentro das últimas gestões por parte do Povo do Clube se desenvolveu logo após os problemas detectados por torcedores mais próximos do dia a dia do clube que foram fortes auxiliares no descenso do Internacional a Série B do Brasileirão.

A justificativa apontada para a saída do PC se deve “a falta de compromisso de alguns setores com o programa de mudanças aprovados nas urnas.”

Veja a nota na íntegra:

No início de 2017, após muito debate interno, tomamos uma difícil e importante decisão: frente ao cenário de intensa dificuldade pós gestão 2015-2016, nos vimos, como colorados(as), na obrigação de abraçar o clube e, dentro da gestão, trabalhar pela reconstrução do Sport Club Internacional. Achávamos, aliás, que no atípico cenário de série B, esta era a obrigação de todos os movimentos políticos do Clube.

Nossa entrada para a gestão, no entanto, não se deu sem antes construir um programa mínimo, com diretrizes para a reconstrução institucional do clube, debatido e acordado com os principais líderes políticos da gestão. Foi guiado por este programa que o Povo do Clube pautou a sua atuação ao longo de 2017, tanto na gestão como no Conselho Deliberativo

Apesar das imensas dificuldades, conquistamos o principal objetivo traçado: o retorno à Serie A. Reconhecemos, com humildade, que fomos apenas mais uma peça na engrenagem que trouxe o Inter de volta ao grupo principal do futebol brasileiro, mas podemos afirmar sem medo que o nosso trabalho foi de fundamental importância para que esse objetivo fosse atingido. Deixamos nosso legado em cada área onde atuamos. Enfrentamos com coragem alguns problemas crônicos que ninguém ainda havia enfrentado. Sobre esta atuação e legado, falaremos mais em uma prestação de contas detalhada para a torcida colorada.

Conquistado o objetivo principal, os primeiros meses de 2018 foram de avaliação, como já estava previsto. Avaliação de nossa atuação e da Gestão como um todo. Após intensos e qualificados debates, concluímos que novos passos no sentido das mudanças estruturais que julgamos necessárias, dentro das condições atuais, não seriam possíveis. Destaca-se aí, a falta de compromisso de alguns setores com o programa de mudanças aprovados nas urnas. Assim sendo, optamos por continuar ajudando o Sport Club Internacional não mais dentro da gestão, mas com forte atuação no Conselho Deliberativo e nas arquibancadas do Beira-Rio.

Mesmo fora da gestão não nos somaremos a aqueles que optaram por fazer uma oposição pela oposição, sem rumo construtivo, apenas por disputa de espaço político no Clube. Esta nunca foi a nossa prática e nunca será. Seguiremos atuando com independência, sempre focando nos interesses maiores do Sport Club Internacional. Acreditamos que, mais do que nunca, é necessário a união do Clube para a continuidade do processo de reconstrução e retomada das conquistas. Este compromisso com a unidade deve ser assumido não apenas pelos grupos oposicionistas, mas também pelos próprios grupos situacionistas.

Além do compromisso com a unidade, seguiremos firmes defendendo as bandeiras que sempre defendemos, na gestão ou fora dela. Algumas avançaram muito no último ano, outras apenas em doses homeopáticas e algumas ainda encontram-se paradas. No Conselho Deliberativo e nas arquibancadas continuaremos a defesa de um Inter popular, organizado, transparente e vencedor. Com a torcida, seguiremos a luta para que o Beira-Rio seja de Paz, Povo e Festa, com setores sem cadeiras e novos lotes da modalidade Academia do Povo, que tanto orgulha a nossa torcida e é inspiração nacional. Queremos também uma defesa mais enérgica dos justos interesses da nossa torcida. Quanto a transparência, ainda que mecanismos de controles internos dos gastos tenham sido adotados, esta é uma área que ainda precisamos avançar muito, principalmente no que se refere à divulgação para os(as) sócios(as) dos números que envolvem as transações do futebol.

Por fim, precisamos dizer que estamos muito honrados e orgulhosos pela oportunidade de ter contribuído com o Clube em um momento tão difícil e importante da nossa história. A aprendizagem foi gigantesca. Nós do Povo do Clube, estaremos sempre a disposição para trabalhar e apoiar, na condição de torcedores(as) e conselheiros(as), os bons projetos que forem implementados pela gestão.

‘Colorado, colorado, nada vai nos separar, somos todos teus seguidores, para sempre eu vou te amar!'”