COMPARTILHE
Foto: Divulgação/site da FIFA

*Por Rodrigo Sturaro

A realização de uma Copa do Mundo com 48 seleções a partir de 2026 vem ganhando força dentro da FIFA. Além de ser uma forma de agradar diversas confederações, a majoração de participantes será importante para os cofres da entidade.

Leia mais: Árbitros da Conmebol passarão por uma pré-temporada no Paraguai
Trabzonspor anuncia a contratação do zagueiro Martín Cáceres

Segundo um relatório divulgado pela própria FIFA, as receitas com um Mundial feito desta maneira cresceriam em 18% a arrecadação se comparado com os valores projetados para a Copa da Rússia em 2018. Efetivamente, a entidade arrecadaria cerca de 640 milhões de euros (cerca de 2,3 bilhões) a mais com a mudança.

No início de dezembro, em uma reunião realizada em Singapura com alguns filiados, o presidente Gianni Infantino revelou que a grande maioria dos membros da FIFA são favoráveis a 48 seleções no modelo de 16 grupos de três cada.

“Acredito firmemente nesta proposta, mas não sou ditador. As associações já se mostraram esmagadoramente a favor da proposta, ainda que seja necessário discuti-la mais”, disse o presidente da FIFA.