SHARE
mundial-sub-20-argentina-venezuela-comecam-torneio-realidades-bem-diferentes-Futebol-Latino-20-05
Foto: Getty Images

Depois de muito aguardarem e se prepararem, a bola finalmente rolou para os garotos na Coreia do Sul para o Mundial Sub-20. E, logo na primeira rodada, duas equipes da América do Sul (Argentina e Venezuela) viveram situações que, se fossem contadas em relação a equipe principal, trariam grande surpresa.

Leia mais: Ex-goleiro do Boca vai a programa de TV, discute com participante e ameaça: “Vou te matar”
Divulgada a convocação de “estrangeiros” da Argentina para o jogo contra o Brasil

Jogando na cidade de Jeonju, a albiceleste voltou a apresentar um futebol de muita dificuldade técnica e organizacional, não sendo páreo para a Inglaterra e sofrendo um sonoro 3 a 0, gols de Calvert-Lewin, Adam Armstrong e Dominic Solanke, já nos acréscimos.

Como o modelo de disputa é idêntico ao da Copa do Mundo, os argentinos se veem obrigados a vencerem na próxima rodada diante da forte seleção da Coreia do Sul, os donos da casa, se quiserem manter vivas as chances de classificação.

Pelo lado dos venezuelanos, uma importante vitória logo de cara frente a sempre complicada Alemanha por 2 a 0 mostrou que a Vinotinto comandada por Rafael Dudamel, também treinador da seleção adulta, não foi ao continente asiático por acidente.

Contando com uma equipe recheada de bons valores, a Venezuela construiu a sua vitória com os gols de Sergio Córdova e de Ronaldo Peña, fazendo com que um triunfo sobre Vanuatu possa acelerar sua classificação ao mata-mata do Mundial.

Sofrimento, mas vitória mexicana

E quem parecia ter a missão menos complicada na primeira rodada pelo lado dos latinos como era o caso do México diante de Vanuatu foi quem teve a partida mais movimentada para o bem e para o mal.

Com 25 minutos de jogo, os tentos de Kevin Magaña e Ronaldo Cisneros davam a impressão de uma estreia tranquila, mas não passou de impressão. Isso porque, na etapa complementar, Bong Kaloros e Ronaldo Wilkins colocaram em xeque a chance da Tri vencer logo de cara no Mundial.

Porém, aos 48 minutos, o zagueiro Edson Álvarez foi o “salvador da pátria”, marcando o gol que garantiu os três pontos diante da seleção da Oceania.