Foto: Carlos Sipán

Em duelo emocionante, o Equador levou a melhor contra o Chile por 3 a 2 e pulou para a liderança da Chave A, com sete pontos. A Roja fica na quarta colocação, com apenas um ponto.

Leia Mais: Em jogo de oito gols, Venezuela supera Bolívia no Sul-Americano Sub-17
Di Maria rebate críticos por conta de ausência na seleção argentina

Na próxima rodada, o Equador folga. Já o Chile mede forças com a Venezuela, na próxima quarta-feira.

O duelo

O Chile teve um início de jogo avassalador. A prova da superioridade se transformou em gol na casa dos 9 minutos. Na cobrança de lateral, Huerta cruzou e encontrou Guzmán, que bateu prensado com o zagueiro e viu a bola morrer no fundo do gol.

O gol manteve a Roja no ataque e Huerta novamente brilhou. O camisa 19 recebeu na entrada da grande área e tocou para Tapia, que limpou a marcação e acertou um belo chute.

O terceiro gol por muito pouco não saiu aos 29 minutos. Novamente Huerta avançou pela lateral e cruzou para Guzmán, que sozinho na pequena área, acertou a trave.

Quando o ímpeto chileno passou, o Equador resolveu sair para o jogo e na casa dos 34 diminuiu o placar. Mina recebeu na intermediária e soltou a bomba que acertou o ângulo de Díaz.

Nos minutos finais o empate ficou perto. A zaga chilena dormiu, Mejia invadiu a grande área e chutou em cima do goleiro.

Na etapa final o Chile começou com um leve domínio. A Roja tentava acalmar o ritmo da partida e explorava os lados do campo. Em cruzamento da esquerda, Tapia apareceu sozinho e cabeceou por cima do gol.

Com o tempo, o Equador foi se soltando no ataque e criou duas boas chances, mas parou em Díaz. Na primeira, o goleiro foi exigido em novo chute de Mina. Na última, Mejía bateu cruzado e o camisa 1 triscou com a ponta dos dedos.

Na base da insistência, a Tri chegou ao empate. No cruzamento rasteiro de Mejía, a bola cruzou a extensão toda e parou em Mina, que pegou de primeira e estufou as redes.

Assim que o empate saiu, as duas seleções buscaram o ataque, mas de maneira comedida. No último lance do jogo, quando tudo parecia decidido, Mina novamente aproveitou cruzamento rasteiro, dominou na grande área e bateu no canto para decretar a virada do Equador.