SHARE
Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Na véspera do jogo contra o Barcelona de Guayaquil pela Libertadores, o técnico Renato Gaúcho brincou na coletiva de imprensa e pediu a construção de uma estátua em sua homenagem no estado do Grêmio. Vale lembrar que, esta é a segunda vez que o treinador toca no assunto, já que a primeira aconteceu ano passado após a conquista da Copa do Brasil.

Leia Mais: Surge a primeira chance de Cícero honrar “crédito” dado pelo Grêmio
Gustavo Ventura pede licença da presidência do Náutico

Nesta quarta-feira, durante entrevista ao programa “Seleção Sportv”, o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, respondeu o treinador e declarou que também concorda com a construção de um busto em homenagem ao ídolo gremista.

“O Renato já merece uma estátua por tudo que fez pelo Grêmio. Não precisa ganhar a Libertadores o clube atender ao pedido, pois foi um grande jogador na história da nossa entidade e como técnico nem se fala”, afirmou.

Em outro trecho do bate-papo, Bolzan falou sobre a novidade na semifinal do torneio, que é a utilização do sistema de arbitro de vídeo. O dirigente acha fundamental para a evolução do futebol a implementação do VAR e apoia o a decisão da Conmebol.

“Acredito que é importante ter um sistema como esse que impede erros dentro da partida. Não podemos mais perder jogos ou campeonatos com erros da arbitragem.”, analisou.

Por fim, o presidente teve que responder sobre o Campeonato Brasileiro, já que o Grêmio optou por jogar algumas partidas com o time reserva e ficou para trás na luta pelo título. Na visão de Romildo Bolzan, o problema não foi poupar e sim, perder jogos com o time titular dentro de casa.

“Todas as vezes que o Grêmio jogou com o time misto, a comissão técnica tomou a decisão apoiada pela diretoria. Não acho que erramos ao poupar. O nosso maior pecado foi não vencer Corinthians, Santos, Avaí e Chapecoense dentro dos nossos domínios. Se a efetividade fosse maior nesses jogos, a nossa equipe estaria na liderança do torneio”, finalizou.