COMPARTILHE
olimpia-cerro-porteno-grande-classico-paraguaio-objetivos-distintos-futebol-latino-06-11
Foto: Hector Carballo/ABC

Mais uma vez o futebol paraguaio vai parar para acompanhar o jogo que pode ser considerado com maior carga mística mediante a força do esporte guaraní no duelo entre Olimpia e Cerro Porteño.

Leia mais: Em meio a crise, Jerjes Justiniano deve deixar presidência do Blooming
Pressionado, Bauza afirma: “Me alegro que Messi esteja em um bom momento”

O jogo que está marcado para às 18h no Defensores del Chaco colocará frente a frente duas equipes que estão com a cabeça em frentes bem diferentes na temporada no que se refere ao real potencial de suas campanhas no Clausura paraguaio.

Enquanto a equipe dirigida por Fernando Jubero tem atualmente 34 pontos e ocupa a segunda posição no torneio liderado pelo Guaraní, que tem 41 unidades, o desempenho do Cerro Porteño com a quinta colocação e 22 pontos ganhos conduz com que a equipe do bairro Obrero, apesar dos dois jogos a menos, concentre suas forças mais em “atrapalhar” os planos do maior rival e ter uma preparação a altura para o jogo da Copa Sul-Americana diante do Atlético Nacional na Colômbia.

Mesmo com o duelo onde o Cerro precisa no meio da semana vencer em Medellín o atual campeão da Copa Libertadores, nada indica que o técnico Gustavo Florentín poupará algum jogador para o clássico. Sendo assim, a escalação provável do Ciclón aponta para Antony Silva; Raúl Cáceres, Omar Alderete, Junior Alonso e Álvaro Pereira; Rodrigo Rojas, Marcos Riveros, Silvio Torales, Josué Colmán e Cecilio Domínguez; Guillermo Beltrán.

Por parte do Decano, os quatro desfalques de maior representatividade (o goleiro Diego Barreto, o volante Luis Cáceres, o meia-atacante William Mendieta e o centroavante Roque Santa Cruz) saíram do departamento médico e estão a disposição de Jubero, podendo formar o provável 11 inicial com Diego Barreto; Rodi Ferreira, José Leguizamón, Alexis Rolín e Salustiano Candia; Luis Cáceres, Jorge Mendoza, Cristian Riveros, Julián Benítez e William Mendieta; Roque Santa Cruz