Foto: Divulgação/Boca Juniors

Na quarta rodada do Grupo G da Copa Libertadores, o Boca Juniors terá a chance de atingir dois importantes objetivos na noite dessa quarta-feira (10) recebendo a equipe do Jorge Wilstermann em La Bombonera caso vença o compromisso.

Leia mais: Rosario Central já foi algoz do Grêmio na Libertadores; Relembre
Franquia de Beckham divulga novas imagens de moderno estádio

Além de fazer com que a vantagem de cinco pontos obtida pelo Athletico na noite da última terça (9) pela vitória por 1 a 0 sobre o Tolima não se mantenha, o clube de Buenos Aires ficará em condições bastante favoráveis de classificação por ficar a três pontos dos colombianos (sete contra quatro) restando apenas seis em disputa.

Pelo lado do Aviador, ganhar na casa do adversário pode ser a última chance de obter uma verdadeira reviravolta no cenário atual da chave também beneficiado pelo revés do Tolima. Podendo sair da atual lanterna do grupo com dois pontos ganhos para cinco, algo que faria o clube de Cochabamba virar o novo vice-líder do Grupo G.

Apesar da alegria que será para qualquer atleta do Wilstermann marcar um gol em La Bombonera, já se sabe que, em um caso específico, a comemoração não será externada de maneira efusiva. Formado nas categorias de base do Boca e torcedor declarado do clube ao ponto de ter uma tatuagem da casa do Azul y Oro no braço, o meia-atacante Cristián Chávez disse a mídia boliviana que não irá comemorar caso marque:

“É impossível que eu grite um gol contra o Boca. Tenho muito respeito pelo clube e pelos torcedores onde conquistei cinco títulos e estreei como profissional.”