desejo-pela-copa-do-mundo-em-2030-vira-video-promocional-da-conmebol-Futebol-Latino-06-09
Foto: Reprodução/Twitter

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), por meio do Tribunal de Apelações da entidade, negou o pedido do Boca Juniors em relação a entrega direta do título da Copa Libertadores sem precisar entrar em campo para o Superclássico frente ao River Plate.

Leia mais: Torcedor que participou do ataque ao ônibus do Boca é solto na Argentina
Dupla de La Paz tropeça e San José tem chance de “folga” na liderança

A solicitação do clube Xeneize tinha como base uma violação citada inclusive no comunicado do clube no último dia 25 de novembro. Segundo o clube Azul y Oro, após os eventos ocorridos no entorno do Monumental de Núñez um dia antes, o arquirrival deveria ser punido de acordo com o que está previsto no Código Disciplinar da Conmebol no Artigo 18:

“A Câmara de Apelações da Conmebol resolve rejeitar a apelação apresentada pelo Boca Juniors em 30 de novembro de 2018 contra a decisão emitida pelo Tribunal Disciplinar da Conmebol em 29 de novembro de 2018 no processo O-212-18. E, consequentemente, confirmar em todos os seus termos a decisão do Tribunal Disciplinar da Conmebol, datada de 29 de novembro de 2018, no expediente O-212-18.”

Além dessa decisão, o River Plate também foi punido financeiramente (multa de 400 mil doláres, em torno de R$ 1,5 milhão) em função do ataque ao ônibus do Boca bem como dois jogos de portões fechados em 2019 em torneios organizações pela entidade continental.

Nesse momento, resta apenas uma questão relacionada aos recursos dos dois lados no âmbito jurídico: O recurso do Millonario pedindo a suspensão da mudança de sede para a cidade de Madri.