Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

*Por Mônica Alvernaz

Darío Leonardo Conca, ou simplesmente Conca para o futebol, nasceu na Argentina no dia 11 de maio de 1983. Com os primeiros passos nos gramados ainda em seu país natal, o meia teve boas passagens pelos clubes que atuou.

Leia mais: Meia brasileiro melhora desempenho e diz estar adaptado no Liverpool
No Peru, partida deixa de acontecer por ausência da arbitragem

Ainda na base do River Plate, em 2001, Conca começou no futebol. Pelo clube argentino, o meia ainda ficou por mais duas temporadas, acumulando dois torneios Clausuras nesse período.

Em 2004, ele saiu da Argentina para atuar pela primeira vez no futebol exterior. Seu primo clube fora de sua terra natal foi o Universidad Católica. Pelo clube chileno foram quase 80 jogos e 40 gols. A exemplo do que aconteceu no River Plate, ele conquistou o Clausura, mas no Chile isso aconteceu apenas em uma oportunidade.

Conca voltou a atuar na Argentina em um empréstimo realizado do River para o Rosario Central. Em sua rápida passagem pelo clube, o meia atuou apenas 13 vezes e não chegou a marcar gol.

O ano era 2007 quando pela primeira vez Darío Conca pisava em solos brasileiros para atuar por um clube daqui. O primeiro foi o Vasco da Gama, no qual ficou por uma temporada, jogou quase 50 partidas e marcou sete vezes.

No ano seguinte, Conca desembarcou no Fluminense, clube pelo qual a torcida desenvolveu grande idolatria pelo meia. Foram dois momentos vividos no tricolor carioca. No primeiro, o argentino vestiu a camisa do Fluminense em mais de 200 partidas, com quase 40 gols, prêmios de Craque do Brasileirão e um título do Campeonato Brasileiro de 2010.

Vivendo excelente fase, o argentino deixou o Brasil em 2011 rumo à China. Pelo Guangzhou Evergrande foram três temporadas disputadas e novamente bons números colecionados na trajetória de Conca. 100 jogos disputados, 54 gols marcados e quatro troféus levantados: três da China Super League e um da China FA Cup.

Em 2014, Conca retornou ao Brasil para vestir novamente a camisa do Fluminense. Desta vez, a passagem foi mais breve que anterior, com apenas 54 partidas disputadas e 16 gols marcados. Da mesma maneira que na última vez que havia deixado o Brasil, Conca saiu novamente para o futebol chinês.

Dessa vez, Darío Conca foi defender as cores do Shanghai SIPG. Diferente dos outros clubes que vinha defendendo, o argentino teve um rendimento um pouco menor. Em duas temporadas, pouco mais de 50 partidas e 15 gols. Nessa época, Conca teve uma lesão no joelho, problema que o acompanharia pelos anos seguintes.

Quando deixou a China em 2017, Conca acabou surpreendendo e gerando polêmica ao retornar ao Rio para defender um grande rival do Fluminense, clube no qual criou grande identificação com a torcida. Anunciado pelo Flamengo com status de estrela, o argentino pouco conseguiu contribuir para o rubro-negro, devido ao problema no joelho.

Pelo Flamengo, Conca não conseguiu completar sequer uma partida completa. Foram três atuações, com pouco tempo em campo, não chegando a completar 30 minutos juntando todas as atuações. Sem nenhum gol marcado, o argentino acabou deixando o clube em um sentimento de frustração para todos os lados.

Após a rápida passagem pelo clube carioca, Conca ficou afastado dos gramados por grande período. O contrato com o Shanghai, que havia emprestado o argentino para o Flamengo, acabou em janeiro do ano passado e, desde então, Conca estava sem clube.

Neste período longe dos campos, o argentino ficou tratando da lesão no joelho e realizando treinamento físico com um preparador em Miami. Até que, em setembro do último ano, o Austin Bold FC, equipe que vive sua primeira temporada na MLS, anunciou Darío Conca como reforço para a temporada.

Aos 35 anos, Darío Conca foi tratado como reforço de peso pelo clube da MLS, no qual já atuou em três partidas, mas até o momento não conseguiu balançar as redes. Apesar da polêmica gerada quando optou pelo rubro-negro carioca embora tivesse história com o tricolor, Conca não descarta retornar ao Fluminense no futuro. Para a torcida do tricolor e os demais torcedores brasileiros fica a expectativa do desempenho de Conca nos próximos jogos e o destino do jogador nos anos que estão por vir.