Foto: Marcos Ribolli

*Por Mônica Alvernaz

Quando chegou ao mundo em 10 de setembro de 1989, ele era Marcos da Silva França. Ainda na infância, virou Keno, apelido vindo da palavra pequeno e dado por seu irmão mais novo que estava começando a falar.

Leia mais: Alto salário é “trunfo” do Napoli para chegar a acordo com Icardi
Brasileiro garante primeiro triunfo em casa do Tijuana na Liga MX

A forma carinhosa da família o chamar, virou seu nome dentro dos gramados. A trajetória de Keno no futebol começou no Sergipe, atuando pelo América-SE. Não tardou muito e o atacante teve passagens pelo Botafogo-BA e o Águia, do Pará.

Em 2013, Keno chegou ao Paraná, mas não chegou a completar uma temporada pelo novo clube. Após 10 partidas, apenas um gol marcado e sem títulos conquistados, o atacante deixou o clube rumo ao Santa Cruz.

Em Pernambuco, uma rápida passagem também, com 25 jogos disputados e três gols marcados. A temporada de Keno com a camisa do Santa, no entanto, foi breve. Pouco depois da chegada do atacante, ele foi emprestado duas vezes seguidas.

O primeiro destino foi o Atlas, na primeira oportunidade do atacante no futebol do exterior. No entanto, a passagem foi rápida e logo Keno voltou ao Brasil. Por empréstimo, ele defendeu a Ponte Preta por 15 partidas e marcou um gol.

Após dois anos emprestado, Keno retornou ao Santa Cruz, em uma temporada melhor aproveitada e vivida. O atacante esteve em 61 confrontos com a camisa do Santa e balançou as redes adversárias em 18 oportunidades. Ele ainda garantiu dos troféus para a conta: o campeonato pernambucano e a Copa do Nordeste de 2016.

O bom momento vivido pelo atacante, o levou à uma outra oportunidade no futebol brasileiro, onde viveu uma grande fase. Em 2017, Keno chegou ao Palmeiras, clube que defendeu por dois anos. No Verdão foram quase 100 partidas disputadas e 19 gols marcados. O atacante esteve no elenco que conquistou o Campeonato Brasileiro em 2018.

Após mais um troféu em sua trajetória, Keno partiu novamente para o exterior. Em um primeiro momento, o atacante saiu para defender o Pyramids FC, do Egito. A transação de transferência do jogador superou o valor de 35 milhões de reais. No novo clube, o brasileiro ficou por pouco mais de 30 jogos e deixou sua marca 10 vezes.

A experiência do atacante no Egito durou pouco e em menos de uma temporada Keno deixou o país rumo à Arábia. Apesar de ser um desejo da torcida palmeirense em ver novamente o atacante vestindo a camisa alviverde, Keno fechou com o Al Jazira pelas próximas duas temporadas. Ainda sem estrear pelo novo clube, tudo indica que um possível retorno do atacante ao Brasil ainda vai demorar a acontecer.