No que depender do desejo e também poder político do presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, não existe a menor possibilidade em curto prazo do clube espanhol disputar uma partida oficial em solo norte-americano.

Leia mais: Segunda-feira decisiva para a liderança da Superliga Argentina
Futebol colombiano estuda implementar sistema de árbitro assistente de vídeo

Recentemente, surgiram diversas informações sobre a organização da La Liga querer transportar alguns duelos da competição para os EUA como forma de promoção da marca no país. Algo que, quase de imediato, gerou bastante insatisfação principalmente nos jogadores dos principais clubes espanhóis.

E, em declaração dada durante reunião da Assembleia de Sócios madridistas, Florentino garante que não tem qualquer interesse de que o Real faça partidas desse calibre nos Estados Unidos:

“Não vamos para os Estados Unidos. Não sei a que interesse responde, mas não é o dos clubes e nem dos torcedores. Nos negamos rotundamente.”

Apesar de já há algum tempo vestindo a camisa da Juventus, o português Cristiano Ronaldo foi tema de suas declarações principalmente pelo fato de que, “à boca pequena”, sempre se falou que a saída do atacante do Real Madrid se deu principalmente por atritos entre Florentino Pérez e o jogador lusitano.

No entanto, o mandatário da equipe merengue se limitou a fazer rasgados elogios ao atleta e o creditou como “digno sucessor” de um latino que fez história no clube, o argentino Alfredo Di Stéfano:

“Uma das referências é o máximo goleador do clube e digno sucessor do Di Stéfano. Foi uma referência e sua história será contada de geração em geração. Um exemplo para todos que usam essa camisa. Obrigado, Cristiano.”